Menu

Grupo de 30 médicos deixa RN e volta para Cuba

0 Comments
Esta quarta-feira (5) foi marcada por mais uma despedida dos médicos cubanos que atuaram pelo Programa Mais Médicos no Rio Grande do Norte. Durante a tarde, 30 profissionais embarcaram num voo em direção à Cuba. Dos 142 médicos que trabalhavam no interior do estado, 52 já foram embora desde a determinação do governo cubano após divergências com o presidente eleito Jair Bolsonaro. No total, 77 municípios potiguares eram atendidos pelos cubanos e por enquanto não há uma previsão de quantos médicos brasileiros vão atuar para cobrir essa brecha no sistema de saúde.

Municípios potiguares ainda vivem incerteza acerca da substituição de médicos cubanos

Municípios potiguares ainda vivem incerteza acerca da substituição de médicos cubanos

A Secretária de Saúde de São Paulo do Potengi, Dailva Bezerra, foi ao Aeroporto Internacional de Natal para dizer adeus aos dois médicos que atenderam o município. Aos prantos, gestora e médico trocam abraços e acenos na entrada do portão de embarque. Emocionada, Dailva fala sobre a saudade que vai sentir do cuidado e atenção dos cubanos. “O sentimento é de muita gratidão. Eles receberam uma monção de reconhecimento da Câmara Municipal, da Secretaria de Saúde e uma homenagem por parte da população ao se despedirem. A gente perde um diferencial muito importante com a ida deles que é o da medicina comunitária”, afirma.

A chegada dos novos profissionais também tem sido motivo de preocupação para a gestora, que também é vice-presidente do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems/RN). De acordo com ela, está ocorrendo um problema que já era previsto pelo Cosems: muitos dos brasileiros que já faziam parte da equipe de Estratégia da Saúde da Família (ESF) migraram para o Mais Médicos, deixando assim, a atenção básica desassistida. Dados da Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) apontam que cerca de 70% dos médicos selecionados o Mais Médicos já ocupavam alguma equipe de ESF.

“Está tendo muita articulação por parte do Cosems, juntamente com o Conselho Nacional de Secretários Municipais e a Confederação Nacional dos Municípios para cobrar ao Ministério da Saúde um posicionamento que reveja essa situação”, declara Dailva Bezerra.

Além disso, o edital de convocação para o programa teve inscrições adiadas para esta sexta-feira (7) devido à desistência de 200 médicos brasileiros que optaram por não assumir a vaga nos municípios. Segundo a coordenadora do Mais Médicos no Rio Grande do Norte, Ivana Fernandes, houve, por ora, uma desistência em Mossoró, “mas ainda não dá para dimensionar com precisão quantos assumiram, porque eles podem se apresentar até o dia 14”.