Após cursos da Coreia do Sul, Amélia Lino retorna a Natal

Nos dias 4 e 5 de novembro, Natal recebe Amelia Lino, Confeiteira autodidata, advogada por formação, que dedica seu tempo a ministrar cursos por todo o Brasil e tem seu trabalho reconhecido pelos famosos e atuais Flower Cakes. Este ano, Amélia afivelou as malas e foi para Coreia do Sul, onde além de ser Certificada em curso do país , Teve seu trabalho reconhecido e foi cadastrada em associações coreanas. De volta ao Brasil, A confeiteira, ministra cursos com certificados coreanos.

Em meio a tudo isso, é um sucesso nas redes sociais, com mais de 126 mil seguidores e   mostra detalhes da preparação dos bolos, além de divulgar datas e lugares dos cursos que ministra.

No mês de outubro, Amélia apresentou seu trabalho no Programa  da Ana Maria  Braga, da Rede Globo e explicou o passa a passo de como fazer suas famosas flores.

Saiba Mais:

Imersa no mundo da confeitaria, Amelia Lino tem em seu currículo dezenas de Cursos internacionais em Flower Cakes, inclusive várias certificações Coreanas, bem como cursos nacionais em trabalhos com bicos. De acordo com ela, os bolos florais podem ser utilizados em diversos eventos, desde batizados, casamentos e aniversários. “Muita gente tem preconceito por achar que o chantilly não tem aquele aspecto requintado, mas ele tem”, explica.

Sobre as tendências de cake design pra 2017, Amelia Lino destacou a força do trabalho com bicos em produções estritamente florais e pinturas em relevo em cremes. “Digo mais: essa é uma tendência  para a década, que reúne arte, simplicidade e originalidade”, explica e acrescenta que a atenção se volta para um trabalho que seja genuíno, que consiga fugir do óbvio.

Com relação aos Bolos Florais em cremes, técnica com influência asiática, na qual Amelia Lino é precursora, ela conta que vem tomando conta do País, de norte a sul. “O trabalho com bicos em flores em creme de manteiga e Chantilly, que estava esquecido, avaliado como retrógrado, foi revigorado: mesclando experiências nacionais e da confeitaria asiática, mais especificamente Coreanas. Conseguimos dar uma nova roupagem e emplacar um trabalho nunca visto no País”, comenta e acrescenta que com a prática, os bolos transformaram-se em “bouquets”, jardins… “Tudo muito realístico e realizado exclusivamente em bicos de confeitar”, completa.

Sobre os motivos que a levaram a buscar inspiração nos bolos asiáticos, Amelia Lino conta que é um povo muito detalhista, minucioso, preciso. “São influências e modelos que, como professora, me chamaram a atenção, pois não existiam por aqui. Hoje, um sonho muito particular é também o sonho de muitos confeiteiros brasileiros e os Bolos Florais, os preciosos Flower Cakes, se revelam como uma tendência nacional, incontestavelmente”, explica e ressalta que o brasileiro é muito mais rigoroso nos detalhes e no acabamento, pois a exigência do público brasileiro é maior.

Sobre os excessos, muitas vezes cometidos pelos profissionais da área, a cake design deixa uma dica. “Os excessos, na minha particular visão,

surgem quando não traduzem a alma do artista e também daquele a quem o trabalho é dirigido. Quando as composições ganham contornos apenas comerciais, destituindo-se do plano da emoção, surgem os excessos e obras sem significado”. Ela conta, ainda, que além do intitulado dom natural, todo Cake Designer deve priorizar estudos que enfoquem  harmonização de cores e elementos. “Não basta conhecer uma dada técnica, a arte como um todo deve ser prioridade, pois em todas as suas facetas corrobora para o aguçar da sensibilidade”, finaliza.