São três novos iPhones: XS, XS Max, com tela gigante, e XR, mais simples

Diga oi pra três novas versões do iPhone X!

Há um ano a Apple iniciava suas tentativas de convencer as pessoas de que valia a pena pagar US$ 999 para adquirir o mais poderoso (e o mais caro) celular da história da empresa, o iPhone X. Agora, a empresa tenta emplacar uma família: o iPhone XS (lê-se: “dez ésse”), o XS Max e (pode comemorar!) o XR, um celular mais simples.

E, sim, os três vêm com entalhe. A grande novidade é que, pela primeira vez na história da Apple, um aparelho surge com lugar para um segundo chip de telefone.

A Apple, pelo visto, quer atrair mais gente para perto. Gente que não está disposta a pagar quase mil dólares em um aparelho. Para isso, veio com a versão “mais baratinha” (ou menos cara).

Mais opções para seu bolso

Dos três modelos apresentados, o iPhone XR é para quem quer gastar menos. A Apple manteve o visual do iPhone X, mas tirou recursos.

A câmera principal, por exemplo, não é dupla, ou seja, não fará imagens em modo retrato com a mesma potência do equipamento com duas câmeras traseira, apenas via software. A câmera frontal tem 7 MP.

Ele vai custar a partir de US$ 749, US$ 250 a menos do que o modelo irmão mais velho, e começa a ser vendido em 19 de outubro nos EUA.

A tela é de 6,1 polegadas — diz a Apple, que o LCD é “o mais avançado do mercado”. O corpo lembra o do iPhone 7, que tem corpo de alumínio. Ele vem em cores diferentes, o que lembra um pouco o lançamento frustrado do 5C há alguns anos. Que tal? Branco, preto, azul, amarelo e coral, uma mistura de rosa com laranja.

O iPhone XS, versão melhorada do modelo de 2017, vem em três cores: dourado, prateado e preto. A tela é Oled de 5,8 polegadas. Será vendido por a partir de US$ 999, em 21 de setembro nos EUA. 

O iPhone XS Max tem uma tela gigante, de 6,5 polegadas, uma das maiores telas já feitas –a maior se excluirmos os modelos chineses (o Galaxy Note 9 tem tela de 6,4 polegadas). O tamanho do corpo é igual ao do iPhone 8 Plus. Tudo isso por a partir de US$ 1.099, também no dia 21 de setembro.

Ainda não há uma data para que os modelos cheguem ao Brasil, mas isso está previsto para acontecer até o final do ano.

Reprodução

Os preços dos novos iPhones vão de US$ 749 a US$ 1.099

E não foi só você que pensou: que raios de nomes são esses? Com essa sopa de letrinhas, o padrão histórico da Apple de “menos é mais” parece que ficou guardado na gaveta do Steve Jobs.

Quer duas linhas? Agora dá!

Para quem se animou com a possibilidade de ter dois chips, é preciso calma. O espaço para dois chips virá em aparelhos vendidos na China. Para outros países, como o Brasil, a Apple promete o eSim, uma espécie de chip virtual que funciona como se fosse um chip de celular integrado dentro do próprio telefone.

Basicamente, o usuário não precisa comprar um novo chip para mudar de operadora. Ele pode apenas configurar no próprio telefone, que vai reconhecer as redes de diferentes operadoras e permitir você escolher uma como seu segundo número. Essa foi uma patente que a Apple registrou em 2013.

Câmeras iguais, mas excelentes

As câmeras do XS e XS Max permaneceram iguais, com 12 MP wide e teleobjetiva na traseira, com truetone flash, e 7 MP na frontal (selfie). Mas, segundo a Apple, o sensor ficou duas vezes mais rápido. Surge uma nova função: o “smart HDR”, que leva “o HDR para outro nível”, segundo a Apple. É uma tecnologia dedicada a momentos críticos de fotos, que usa diferentes fotos capturadas do mesmo momento para criar uma imagem perfeita.

Agora, no modo retrato, você pode escolher e mudar a profundidade do desfoque de uma imagem. A Apple anunciou a novidade com grande pompa e chamando de uma “nova era da fotografia”, mas já é possível fazer algo parecido em celulares da Samsung, por exemplo.

Cadê a bateria?

A bateria foi o ponto mais decepcionante: a do iPhone XS dura 30 minutos a mais que a do iPhone X. É isso mesmo que você leu.

Já a do iPhone XS Max aguenta uma hora e meia a mais. Comparando com o iPhone 8 Plus, o XR dura 1 hora e meia a mais.

Maior proteção

Os aparelhos mais caros também contam com grau de proteção IP68, contra água e poeira. Ou seja, podem ficar submersos por até 30 minutos em uma profundidade de 2 metros. No ano passado era IP67, uma escala a menos, proteção que ficou no iPhone XR.

Reconhecimento facial

Todos têm Face ID, a melhor tecnologia de reconhecimento facial que temos. Segundo Phil Schiller, vice-presidente de marketing da Apple, chegamos à “maior identificação facial já feita em um smartphone“.

Espaço para guardar suas coisas

O iPhone XS Max quebra outro recorde entre celulares da Apple: armazenamento, com 512 GB. Mas vale dizer que o Note 9 já veio com essa capacidade e ainda suporta cartão de memória de mais 512 GB.

Foca o desempenho

Os dois modelos tiveram o processador turbinado. Na versão do ano passado, ele era capaz de fazer 600 bilhões de operações ao mesmo tempo por segundo. Agora, faz 5 trilhões. A Apple afirma que o novo processador, o A12, é 50% mais rápido do que o anterior.

A companhia é a segunda a apresentar um chip com apenas 7 nanômetros – a primeira foi a Huawei, que lançou um aparelho na IFA (principal feira de tecnologia da Europa), no começo do mês. A tecnologia serve para dar mais poder de processamento ao chip.

Como em últimos lançamentos, a Apple também dedicou tempo para dar destaque à realidade aumentada. Foram citados o aplicativo de medidas que pode substituir a fita métrica e um jogo multiplayer em realidade aumentada.

Ficha técnica: iPhone XR

Tela: 6,1 polegadas LCD
Sistema Operacional: iOS 12
Processador: Apple A12 Bionic
Câmeras: 12 MP simples e 7 MP (frontal)

Ficha técnica: iPhone XS

Tela: 5,8 polegadas Oled
Sistema Operacional: iOS 12
Processador: Apple A12 Bionic
Memória: 512 GB de armazenamento; memória RAM não especificada
Câmeras: 12 MP dupla (principal) e 7 MP (frontal)

Ficha técnica: iPhone XS Max

Tela: 6,5 polegadas Oled
Sistema Operacional: iOS 12
Processador: Apple A12 Bionic
Memória: 512 GB de armazenamento; memória RAM não especificada
Câmeras: 12 MP dupla (principal) e 7 MP (frontal)