Embraer e Boeing aprovam termos de parceria que cria negócio de US$ 5,26 bilhões

G1
Combinação de fotos com as marcas da Boeing e da Embraer. As marcas anunciaram nesta quinta (5/7) a criação de uma associação avaliada em US$ 4,75 bilhões — Foto: Denis Balibouse/Reuters; Roosevelt Cassio/Reuters

Combinação de fotos com as marcas da Boeing e da Embraer. As marcas anunciaram nesta quinta (5/7) a criação de uma associação avaliada em US$ 4,75 bilhões — Foto: Denis Balibouse/Reuters; Roosevelt Cassio/Reuters

A Embraer informou nesta segunda-feira (17) que aprovou junto à fabricante norte-americana de aeronaves Boeing os termos doacordo anunciado em julho do ano passado, que prevê a criação de uma nova empresa (joint venture) no Brasil, que está sendo chamada de JV Aviação Comercial (este não será o nome da empresa após a conclusão de operação).

Segundo a parceria, o novo negócio (joint venture) de aviação comercial é avaliado em US$ 5,26 bilhões. Inicialmente, as duas empresas estimavam que o valor seria de US$ 4,75 bilhões.

A JV Aviação Comercial terá participação de 80% da Boeing – que fará um aporte de US$ 4,2 bilhões no negócio –, e os 20% restantes serão da Embraer.

A fabricante brasileira de aeronaves terá o direito de vender sua parte na empresa para a fabricante norte-americana a qualquer momento, por meio de uma opção de venda.

O acordo ainda precisa ser aprovado pelo governo brasileiro, que é dono de uma “golden share” na companhia e tem poder de veto em decisões estratégicas, como a transferência de controle acionário da empresa. Entenda

Caso o governo aprove o negócio, o acordo ainda será submetido à aprovação dos acionistas, das autoridades regulatórias, “bem como a outras condições pertinentes à conclusão de uma transação deste tipo”, informou a Embraer.