Tetos diferenciados da Lei de Incentivo à Cultura complicam sobretudo os espetáculos musicais

O Globo

Espetáculo musical 'Peter Pan' recebeu recursos da Lei Rouanet Foto: Joao Caldas / Divulgação
Foto: Joao Caldas / Divulgação

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse na noite desta quarta-feira, em entrevista à GloboNews, que a política externa do governo Jair Bolsonaro é um “desastre”. Maia criticou ainda a política de Educação do governo e a “falta de agenda” para o país. Segundo ele, a ausência de propostas dificulta a relação do Executivo com o Congresso.

No caso do teatro musical, um mercado que cresceu nas últimas duas décadas, o limite por projeto pode significar o desmonte de uma cadeia produtiva, que envolve profissionais de várias áreas.

— O musical é um gênero historicamente popular no Brasil, e que nas últimas duas décadas foi renovado com a chegada de espetáculos com o padrão Broadway. Introduzimos novas tecnologias e isso faz subir o valor das produções — observa Gerson Steves, autor do livro “A Broadway não é aqui” (2015), que ganhará edição ampliada este ano. — A tendência é que o teto de R$ 1 milhão inviabilize produções de maior porte, que empregam grande quantidade de profissionais.

‘Musical para Cristo’

Os números traduzem o tamanho do uso da lei pelo segmento. Em 2018, as artes cênicas foram o setor com mais projetos que captaram acima de R$ 1 milhão. Desses, nove são musicais, que mobilizaram R$ 36 milhões, segundo levantamento do Núcleo de Dados do GLOBO, com base em informações divulgadas pelo portal da Lei Rouanet.

Produtora de “Cinderella” (2016) e “Peter Pan”, que chega ao Rio em junho e captou R$ 9,6 milhões, Renata Borges estima que cada espetáculo deste porte gere cem empregos diretos e outros 400 indiretos.

“Os espetáculos podem ficar mais de oito meses em cartaz, e têm pelo menos dois anos de preparação. O teto de R$ 1 milhão, pelos nossos cálculos, não cobre isso. Talvez com R$ 6 milhões fosse possível. A mudança pode aniquilar a produção de musicais no Brasil”