Expectativa por votação da reforma da Previdência dará o tom do mercado

Valor Investe

O dia em Brasília deve ser de mais negociações entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e membros do governo e líderes partidários com a intenção de costurar apoio para aprovar a reforma da Previdência.

Durante o fim de semana também não houve trégua nas negociações e Maia quer garantir quórum de pelo menos 490 dos 512 deputados para colocar o texto em votação amanhã. O presidente não vota.

Segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a proposta de reforma conta com o apoio de 330 deputados, mais do que os 308 suficientes para a aprovação.

Lorenzoni considera a estimativa “realista, pé no chão”, mas parlamentares ponderam que os cálculos precisam ser vistos com cautela.

O que causa mais apreensão nos articuladores políticos do projeto é a segunda etapa de votação, onde as pressões individuais de cada categoria, como professores e policiais federais, são mais fortes.

Agenda

Com a agenda tranquila na véspera de feriado em São Paulo, que fechará a bolsa por aqui, os dados de crédito dos Estados Unidos são o destaque do dia.

Às 16h (de Brasília), o Federal Reserve divulga o dado de crédito ao consumidor de maio. A leitura anterior foi de alta de US$ 17,5 bilhões e a expectativa é de alta de US$ 18,5 bilhões.

No Brasil, a Receita Federal libera hoje, às 9h, a consulta ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda 2019. O pagamento de R$ 5 bilhões para 3.164.229 contribuintes será realizado em 15 de julho.