Menu

Marcelo Queiroz participa de encontro com a Cônsul Geral da China no Brasil e destaca oportunidades para o turismo do RN

0 Comments

Fecomércio

Foto: Divulgação

O presidente do Sistema Fecomércio Rio Grande do Norte, Marcelo Fernandes de Queiroz, participou nesta quarta-feira, 10, de um encontro com a Cônsul Geral da China no Brasil, Yan Yuging, à convite da governadora do Estado, Fátima Bezerra. O evento reuniu secretários e representantes de entidades empresariais, além da delegação chinesa, composta por 30 integrantes. A visita ao estado teve como objetivo para tratar de possíveis investimentos nas áreas de energia, mineração, agropecuária, transportes e turismo.

“A China tem um mercado de 1,3 bilhão de consumidores, que começa, aos poucos, a se abrir para o mundo, é um enorme manancial de oportunidades. Todos os números que envolvem a economia chinesa são gigantescos. Somente no ano passado, eles enviaram nada menos que 129 milhões de turistas para várias partes do mundo. Infelizmente, só 69 mil vieram para o Brasil, ou seja, há um grande espaço para ocuparmos. E graças ao seu potencial turístico, o Rio Grande do Norte é um grande candidato a ocupar parte deste espaço. Os números são tão impressionantes que, para se ter uma ideia,  se o Rio Grande do Norte conseguir captar apenas 1% dos turistas chineses nós já iremos ampliar em 50% o número de visitantes anuais do nosso estado. Portanto, precisamos, sempre, estar de portas abertas para negociar com os chineses. E é para isso que estamos aqui. O Governo do Estado está de parabéns pela iniciativa e a Fecomércio está pronta para se somar a este esforço conjunto para sermos parceiros mais firmes deste gigante mundial”, comentou Marcelo Queiroz.

Segundo o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, esta é a maior comitiva em número de pessoas e de representação no Brasil, o que mostra intenção da China em investir no estado. “É uma honra recebê-los aqui, onde vamos apresentar as potencialidades do nosso estado e onde vamos apresentar os nossos líderes empresariais. Temos diversos incentivos para oferecer, como os fiscais, para que as empresas possam se instalar e investir aqui”, afirmou.

A governadora Fátima Bezerra afirmou que a China é considerada um parceiro comercial importante, desde criação do BRICS (bloco econômico que reúne Brasil, Rússia, Índia e China) e a missão demonstra o potencial de investimentos que podem ser viabilizados no Rio Grande do Norte.

“Até hoje nosso estado não foi dotado de uma infraestrutura compatível com o potencial que nós temos. Daí o nosso brilho nos olhos diante da possibilidade de novos investimentos. Já temos a presença de algumas empresas chinesas aqui, mas queremos ampliar esta participação. Temos potencial de desenvolvimento no turismo, na carcinicultura, na mineração, entre outras atividades. Com o desenvolvimento da nossa infraestrutura, vamos ter a possibilidade de desenvolvimento econômico em larga escala. E com isso, não só fortalecer os investimentos existentes, como também aumentá-los para que possamos gerar mais empregos”, declarou a chefe do Executivo estadual.

Yan Yuging reconheceu as oportunidades para investimentos no Rio Grande do Norte, chamada por ela de “uma terra de oportunidades”. E completou: “Para muitos de nós é a primeira vez que estamos aqui. Então vemos com muita alegria a possibilidade apresentadas hoje. Temos a geografia e o entusiasmo do povo que contribuem para isso. Espero que o RN possa desenvolver um papel ativo nessa cooperação”, finalizou.

Apresentações

Ainda durante o encontro, alguns dos secretários estaduais fizeram apresentações de assuntos ligados às suas pastas e como os investimentos de empresas chinesas podem fomentar e alavancar o desenvolvimento econômico do estado em várias regiões.

Representando a titular da Secretaria Estadual de Turismo (Setur), Ana Maria da Costa, a subsecretária de Turismo, Solange Portela, descreveu as potencialidades do estado, que além do turismo de sol e mar, oferece também o turismo cultural, o religioso, o de aventuras, o arqueológico. “Temos ainda o novo Centro de Convenções, que está perto de toda a nossa infraestrutura hoteleira, o que o torna um diferencial no turismo de negócios. Além do aeroporto, que é um equipamento moderno e que está localizado em uma posição estratégica, e tem, partindo dele, o voo direto para Portugal, que é o mais curto ligando o Brasil à Europa”, relembro.

Já o secretário de Infraestrutura, Gustavo Coelho, apresentou o “Plano de Expansão da Infraestrutura do RN”, que detalhou a atual situação dos modais de transporte do estado, e e da situação atual dos modais de transportes como também as necessidades de investimentos para que eles possam ser melhor aproveitados. “Para se ter uma ideia, atualmente, o estado possui apenas 3.200 km de rodovias estaduais pavimentadas e, no âmbito federal, 1.500 km de rodovias pavimentadas. Para que nós pudéssemos recuperar ou reconstruir estas estradas, o investimento necessário seria de mais de R$ 1 bilhão”.

Ele destacou ainda que, no caso das ferrovias, seria necessária a reconstrução dos atuais 400 km de linhas existentes e que atualmente estão desativadas, como também a construção de novas linhas (300 km). Com isso feito, seriam ampliadas as linhas de trens urbanos e a construção de linhas VLT para Natal, com valor total de quase $U 3 bilhões. No modal aquaviário, foi apresentada a sugestão de construção de um novo porto, localizado a 12 km da costa, entre os portos de Natal e Pecém (CE), que receberia navios de grande calado, com atuação voltada para a indústria, principalmente de energia eólica offshore e escoamento de produtos agrícolas.

O diretor-presidente do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (Cerne), Darlan Santos, traçou o cenário atual do setor eólico no Rio Grande do Norte, que produz 30% de toda a energia eólica do país, tendo mais de 150 projetos em operação. O RN também é o estado com a maior concentração de aerogeradores no país (1.500 máquinas), com investimento superior a R$ 15 bilhões. “Já estamos estudando a potencialidade do estado na exploração offshore(com equipamentos instalados no mar), e agregar também a exploração da energia solar, que complementa a energia eólica”, adiantou. Darlan apresentou ainda à delegação chinesa, como uma proposta de investimento, um sistema de dessalinização operado com energia solar para a região do semiárido potiguar e um projeto de desenvolvimento de um veículo popular elétrico.

“Apesar de ser um estado pequeno, somos muito competitivos. Tal prova é que somos o segundo maior produtor de frutas do país e o Porto de Natal é o segundo maior exportador de frutas do Brasil. O camarão é outro produto potencial. Somos o maior produtor de camarão cultivado do Brasil, sendo possível abastecer de imediato o mercado chinês com a velocidade e demanda que o mercado precisa”, apontou o secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Pesca, Guilherme Saldanha, explicando ainda que RN é o maior exportador de atum congelado do país, atingindo o mercado europeu e japonês.

Outro órgão que participou do encontro com a cônsul Yan Yuging, foi o Idema, responsável pelas licenças ambientais de empreendimentos no estado. De acordo com o diretor Leonlene Aguiar, foi instituído um licenciamento simplificado eletrônico para agilizar o processo de liberação de licenças, como também um mapeamento das áreas geoambientais para que as empresas possam identificar os melhores locais para que façam seus investimentos. “Estamos buscando pela eficiência, garantindo a segurança jurídica e técnica para os investimentos que cheguem ao Rio Grande do Norte”.

Já o empresário Pio Egidio Sacchi, da MHAG Serviços de Mineração, que atua na região Seridó, no município de Jucurutu, explicou que há um projeto em fase de pesquisa e desenvolvimento, na área de exploração de minério de ferro no RN. De acordo com análises preliminares, há potencial de produção de 6 milhões de toneladas/ano de concentrado de minério de ferro, destinada inicialmente à exportação. O empresário Miguel Bentes, da B8biz, explicou que a empresa pode viabilizar a implantação de empresas na área de siderurgia, mineração, metalurgia de metais, centro operacionais de alta tecnologia, entre outros, criando ambientes propícios para a geração de emprego e renda, aumento das exportações e melhoria da competitividade.

O grupo está no Rio Grande do Norte desde a terça-feira (9), onde visitou empresas de fruticultura em Mossoró, incluindo as instalações da fazenda Famosa, maior produtora e exportadora de melão do país.

A delegação chinesa tem 30 pessoas, entre as quais a da Cônsul Geral da China no Brasil, Yan Yuging; pela Cônsul Comercial, Shao Weitong; pelo Vice-cônsul He Yongwei; pelo Chefe do Escritório Comercial do CCPIT em São Paulo e Secretário Geral de ABEC, Zhang Xin; o repórter da China Central Television (CCTV), Liao Junhau; e o repórter da China Television (CTV), Sr. Cai Wei.

Também estiveram presentes na reunião o vice-governador, Antenor Roberto; o secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, João Maria Medeiros; secretário estadual de Educação, Getúlio Marques; o presidente da Faern, José Álvares Vieira; o reitor do IFRN, Wyllys Farkatt Tabosa; o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mossoró, Michelson Frota.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!