ENFRENTAMENTO À COVID-19, PREVIDÊNCIA E DÉFICIT HABITACIONAL PAUTAM OS DEPUTADOS

Divulgação

Os parlamentares utilizaram o horário destinado aos deputados, na sessão ordinária desta terça-feira (14), por Sistema de Deliberação Remota da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, para comentar assuntos como o enfrentamento à covid-19 no Estado, o adiamento da votação da PEC da Previdência e o déficit habitacional do RN.

O deputado estadual Vivaldo Costa (PSD) aproveitou para parabenizar o Governo do Estado, os prefeitos dos municípios do RN e o ex-governador Robinson Faria pela estrutura da saúde organizada em Caicó, que está proporcionando uma boa atenção aos doentes nesse momento de pandemia.

De acordo com ele, existe hoje em Caicó um serviço de enfrentamento ao coronavírus muito bem montado e dirigido, mas lembrou que o governador Robinson Faria, que antecedeu Fátima Bezerra, dotou Caicó com um dos centros de UTI mais modernos do Brasil. “Este centro está ajudando a salvar muitas vidas, por isso não poderia deixar de registrar a participação importante do ex-governador nisso”, falou.

O deputado José Dias (PSDB), por sua vez, comentou a votação na sessão plenária desta terça-feira (14) do requerimento apresentado pelo deputado Kelps Lima (SDD) pedindo o adiamento da votação da PEC da Previdência. O requerimento foi rejeitado por 13 dos 24 deputados. “Hoje é um dia de glória para a Assembleia Legislativa porque nós tivemos 11 deputados que manifestaram independência e coerência. Se a governadora tentar votar essa reforma online, ela vai perder. Só vai ter 13 votos e são necessários 15 votos. Não há pressão que modifique as nossas posições”, declarou. Ele aproveitou para dizer que a diminuição do número de casos do coronavírus no Rio Grande do Norte não era mérito do Governo do Estado, mas sim pelo uso do medicamento ivermectina.

Já o parlamentar Hermano Morais (PSB) usou o momento para falar do déficit habitacional no Rio Grande do Norte. De acordo com ele, só na capital do Estado, Natal, 13% dos domicílios em estão em condições precárias. “O déficit considera não apenas aqueles que não têm casa, mas também aqueles que moram em condições subumanas”, explicou.

Ele informou que o Programa Pró-moradia/ Viver Melhor foi retomado pelo Governo do Estado e deve beneficiar 6 mil pessoas no RN. “É preciso dar o crédito, porque esses recursos foram consignados no governo passado e estão sendo concretizados agora. Estão sendo liberados R$ 51 milhões. É uma ajuda, que não vai resolver o problema, porque o déficit é muito maior, mas pelo menos teremos amenizada a situação para 765 famílias”.

Por último, o deputado Coronel Azevedo (PSC) mencionou a situação da saúde no município de João Câmara. “O Governo do Estado anunciou que estava colocando cinco UTIs na cidade, mas, no dia 2 de julho, apenas dois leitos foram habilitados. Nos últimos dias, estive visitando a localidade e descobri que nenhum leito da covid-19 está funcionando. Por isso, gostaria de saber da Secretaria de Saúde do Estado o que está acontecendo. O município de João Câmara atende a 26 municípios próximos, então por que essa lentidão?”, questionou o parlamentar.