Guia de campo do Parque das Dunas é publicado no Museu de Chicago

O trabalho do Parque Estadual Dunas do Natal “Jornalista Luiz Maria Alves” conquistou, na última semana, uma publicação internacional, no Field Museum de Chicago, nos Estados Unidos. O guia de campo “Árvores do Parque das Dunas”, publicado pela Field Guides Museum, traz fotografias de 50 árvores nativas que ocorrem nessa importante Unidade de Conservação.

O Museu Field de História Natural (Field Museum of Natural History) é um museu de história natural situado na cidade de Chicago, Illinois. O local abriga mais de 20 milhões de espécies em coleção e foi incluído no Registro Nacional de Lugares Históricos em 1975, sendo considerado um dos maiores museus do mundo. Para o botânico responsável pelo Herbário Parque das Dunas e pelo setor de Flora da Unidade, Alan Roque, o sentimento é de alegria em ter uma publicação em um importante museu, e que traz tantas informações relevantes sobre parte da biodiversidade potiguar.

“Este guia faz parte dos esforços do Laboratório de Botânica do Parque das Dunas, de elencar a sua flora nativa e faz parte, também, de uma série de guias que estão por vir. Estamos muito felizes e orgulhosos com a publicação desse trabalho, feito em parceria com uma aluna de mestrado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e com um professor de botânica da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Por ser uma publicação internacional, e em um museu referência, faz com que a diversidade do Parque das Dunas possa ser vista pelo mundo todo. Parabéns a todos que contribuíram na preparação e gratidão ao Museu pela publicação desse importante material”, afirma Alan.

O guia é fruto de dois anos de pesquisas e acompanhamento das espécies arbóreas do Parque. Entre as 50 espécies, temos a Anacadium occidentale (Cajueiro), Hancornia speciosa (Mangaba), Eugenia azeda (ubaia- azeda), Handroanthus impetiginosus (Ipê-roxo), Cordia superba (Grão-de-galo), Chamaecrista ensiformis (Pau-ferro).

“Para a elaboração do guia foi feito todo o acompanhamento das espécies de árvores, que envolveu o processo de coleta, fotografia, observação do período de floração e frutificação, inserção das amostras no herbário e identificação. O material é uma importante ferramenta de educação ambiental e uma forma das pessoas conhecerem a diversidade que existe no Parque. É a partir do conhecimento, do entendimento do que existe a nossa volta, que aprendemos a cuidar”, explica o botânico.

Alan Roque, acrescenta que, atualmente, a lista de espécies da flora do Parque das Dunas está em atualização e já ultrapassa a marca de 450 espécies, mais do que o dobro do que foi publicado no primeiro plano de manejo na década de 1980. “Esse é o primeiro guia de campo do Parque das Dunas e apresenta 50 espécies de árvores nativas encontradas dentro dos limites do Parque. Outros guias de campo, incluindo ervas, arbustos e trepadeiras estão em desenvolvimento”, ressalta.

O Herbário Parque das Dunas já obteve reconhecimento internacional ao ser indexado no Index Herbariorum, do The New York Botanical Garden. Sua coleção também foi disponibilizada on-line pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro. “O Parque das Dunas está em contato com especialistas na área de botânica de todo o Brasil, enviando e recebendo amostras, identificações e informações sobre a rica flora potiguar, fortalecendo o intercâmbio de conhecimento florístico brasileiro”, finaliza Alan Roque.

Guias de campo representam uma forma de engajamento com o mundo natural, seja por meio de pesquisa, conservação ou observação da natureza. São importantes ferramentas para educação ambiental e auxiliam pesquisadores e visitantes a obterem conhecimento a respeito da flora de um determinado local. São guias práticos, 100% gratuitos que podem ser impressos, plastificados e levados para observação em campo.

Para conferir o guia, é possível baixá-lo gratuitamente na página do Field Guides, do Field Museum, ou através do link.