Governo entrega proposta de parceria para execução do Projeto Seridó

Divulgação

O Governo do Estado deu mais um passo para a execução de um dos principais projetos de segurança hídrica do Rio Grande do Norte. A governadora Fátima Bezerra entregou ao secretário nacional de Segurança Hídrica do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Sérgio Costa, a proposta de cooperação para as obras do Projeto Seridó, que prevê um investimento de R$ 280 milhões na implantação de sete adutoras, somando 300 km de tubulações, para garantir o abastecimento das cidades seridoenses pelos próximos 50 anos.

A proposta entregue pelo Governo do Estado ao MDR – também representado na reunião pelo secretário substituto de Recursos Hídricos, Wilson de Melo Júnior – prevê a cessão do projeto elaborado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh). Assim, a licitação e execução da obra ficariam a cargo da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), contando com a supervisão técnica da Semarh. A operação e a manutenção do sistema ficariam a cargo do Governo do Rio Grande do Norte.

“Essa proposta de cooperação técnica é a demonstração de que os interesses do Rio Grande do Norte estão acima de qualquer diferença. Estamos aqui falando de um projeto que, somado a Oiticica e à Transposição do Rio São Francisco, vai trazer segurança hídrica pelas próximas décadas à população do Seridó. E o Governo, como responsável pelo projeto de alta qualidade técnica, tem a prerrogativa de fazer o acompanhamento da obra”, afirmou a governadora Fátima Bezerra.

O Projeto Seridó é uma das principais ações planejadas para a segurança hídrica potiguar dentro dos próximos anos, sendo um eixo vital para o aproveitamento das águas da transposição do Rio São Francisco no RN. As sete adutoras do projeto vão interligar os grandes reservatórios da região, com foco na barragem de Oiticica. “Essa proposta do termo é muito importante para o estado, que vai se beneficiar com a obra, e pelo compartilhamento técnico entre a Semarh e a Codevasf”, ressaltou o secretário da Semarh, João Maria Cavalcanti.

O planejamento elaborado pelo Governo do Estado aponta que as obras, além de garantirem sustentabilidade hídrica para os seridoenses, permitirão que os perímetros irrigados e açudes mantenham-se perenes e atendam o setor produtivo da região.

“Uma das nossas prioridades no ministério é segurança hídrica. Foi uma reunião muito boa, em que foram colocados os interesses do Rio Grande do Norte na mesa e quem ganhou foi o estado”, acrescentou o secretário nacional de Segurança Hídrica, Sérgio Costa.

O documento entregue pela governadora será avaliado pela Codevasf e a perspectiva é de que o termo de cooperação seja assinado na próxima semana, em reunião com a presença do presidente da estatal, Marcelo Moreira Pinto.

OBRAS

No encontro, realizado na Governadoria, o secretário Sérgio Costa ainda anunciou que o MDR deverá lançar ainda este mês o edital para as obras do ramal Apodi-Mossoró. A obra é outro eixo importante para o RN no que diz respeito à transposição do Rio São Francisco, pois esse curso d’água também receberá as águas do Velho Chico.

“O ramal é uma luta antiga nossa, pois é imprescindível para que todas as regiões necessitadas do RN sejam beneficiadas pelas águas do São Francisco. Por isso também apresentamos a proposta de parceria com o ministério para a criação do plano da bacia hidrográfica do Apodi-Mossoró”, comentou Fátima Bezerra.

A iniciativa do Projeto Seridó se soma ao trabalho do Governo do Estado nas medidas de convivência com a seca. No início deste mês, em Mossoró, a governadora Fátima Bezerra lançou o programa RN+Água. Com investimentos previstos de R$ 390 milhões dentro dos próximos dois anos, o programa vai beneficiar 320 mil famílias potiguares com sistemas de dessalinização, barragens subterrâneas e na maior iniciativa de perfuração de poços tubulares da história do RN, com a previsão de 885 poços perfurados.

Ainda participaram da reunião o vice-governador Antenor Roberto, o secretário-adjunto da Semarh, Carlos Nobre, e o assessor técnico da pasta, Paulo Varela.