Governo do RN: Governo discute políticas públicas e propostas de ações inclusivas

Debater políticas públicas e propostas de ações inclusivas com foco na capacitação. Foi com esse objetivo que o Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado da Administração (Sead) e da Escola de Governo Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales (EGRN), realizou neste sábado (12) o 1º Fórum de Inclusão: edição Currais Novos.

O evento é uma iniciativa integrante do Plano RN Inclusivo, cuja finalidade é promover atividades educativas, voltadas para a qualificação profissional, melhoria da gestão pública e consolidação da cidadania e voluntariado para todas as regiões do Estado. Currais Novos foi escolhido para a realização do projeto piloto, entretanto outros municípios que aderiram ao Plano também devem receber o evento a partir de 2021. 

No 1º Fórum de Inclusão, que aconteceu inteiramente no formato virtual, em função da pandemia, participaram dezenas de pessoas, entre servidores e gestores públicos, conselheiros municipais, lideranças comunitárias, estudantes universitários, professores e atores políticos em geral. Além desses, o evento garantiu a participação de intérpretes de libras, disponibilizados pela Secretaria Estadual da Educação e da Cultura (SEEC), que auxiliaram na comunicação.

Representando o Governo do Estado, o diretor da EGRN, professor João Emanuel Evangelista, destacou a importância do evento e palestrou sobre as “Premissas da Cidadania Ativa e Desenvolvimento Local”. O gestor falou sobre a questão da desigualdade social existente no Brasil, lembrando que o país representa uma das maiores economias do mundo, mas está em 79º lugar no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). “Os problemas sociais têm origem histórica, mas a realidade pode ser mudada. Essa transformação social quando se é pensada no âmbito coletivo é possível”, ressaltou Evangelista, abordando a importância da cidadania ativa e do desenvolvimento local como propulsores dessa mudança. 

O diretor frisou que a Constituição Brasileira garante tantos direitos individuais quanto sociais às pessoas e que elas devem poder exercer a cidadania exigindo esses direitos. Mas, que isso acontece quando governo e população se aproximam, quando o poder público possibilita estimular esse comportamento, através de políticas e ações sociais. Segundo Evangelista, o desenvolvimento local é uma consequência desse trabalho. “Quando o indivíduo se sente portador de direitos passa a atuar de forma ativa na comunidade, contribuindo para o seu desenvolvimento local. A cidadania ativa e o desenvolvimento local são duas formas complementares de promover justiça e mudança social. É preciso promover a democratização do poder e a distribuição da riqueza”, considerou.

O prefeito de Currais Novos, Odon Júnior, marcou presença no fórum e disse que a cidade tem muitas demandas de capacitação, as quais espera transformá-las em ações concretas com a ajuda da Escola de Governo. “Acredito que a sociedade ganha muito quando os governos [estadual e municipal] se aproximam, se integram”, pontuou. 

O secretário municipal do Trabalho, Habitação e Assistência Social, Wilton Júnior, lembrou que 2021 vai ser um ano difícil com a ressaca da pandemia e que é preciso aproveitar esses fóruns com foco no desenvolvimento regional. “Precisamos de uma perspectiva macro, vislumbrando toda a região, mas também de uma perspectiva micro, na qual consigamos enxergar as vulnerabilidades e as potencialidades de cada bairro, comunidade. Precisamos chegar junto enquanto poder público, a fim de possibilitar autonomia financeira e assegurar dignidade para a população”, afirmou. 

Outras autoridades locais que também participaram do fórum foram o secretário municipal de Administração, Jonathas Galvão; o vereador Edmilson Souza, representando a Câmara Municipal de Currais Novos; o diretor da 9ª Diretoria Regional de Educação e Cultura (Direc), professor Agnaldo Cassiano de Brito; o também professor Márcio Santiago, da Faculdade de Engenharia, Letras e Ciências Sociais do Seridó; e o diretor substituto do Campus de Currais Novos do IFRN, Elionardo Melo. 

O evento contou ainda com alguns momentos culturais, entre elas a apresentação do poeta Tiago Camilo e da canção “Currais Novos Bonita”, entoada por artistas locais e que é considerada o hino da cidade.

Grupos focais

Durante o 1º Fórum de Inclusão, os participantes se dividiram em quatro grupos focais, nos quais puderam debater as políticas públicas e demandas de capacitação existentes em Currais Novos e região. A intenção é implementar um conjunto de ações formativas, voltadas para o fortalecimento da inclusão social, da cidadania ativa e do desenvolvimento local, com base nos Focos do RN Inclusivo (Inclusão pela saúde, segurança e valorização humano-profissional; Inclusão pela educação, pelo esporte e lazer, pela cultura e pela identidade local; Inclusão pelos direitos e cidadania ativa; Inclusão pelo desenvolvimento local; e Inclusão pela gestão participativa e integrada).

Participante do evento, a livreira e educadora popular Lady Bárbara Santos salientou a importância da atividade como uma oportunidade ímpar para contribuir com a construção de uma sociedade mais justa. “Foi um momento muito rico. Neste fórum, você oportuniza as pessoas de fora do meio público a falar sobre o que elas entendem e o que elas passam; inclui as pessoas para participar no seu lugar de fala. Estou muito feliz pelo momento e pela oportunidade de ter o meu direito de fala garantido”, afirmou ela, que atua ainda como coordenadora voluntária de um cursinho em Currais Novos. 

A coordenadora do Programa Nacional de Apoio à Modernização da Gestão na Sead, Giovana Paiva, responsável pela mediação do evento, encerrou as atividades do 1º Fórum de Inclusão destacando que o público tem ainda uma semana para poder continuar participando do debate, em prol do desenvolvimento de um RN mais inclusivo. Isso porque  a discussão segue via grupo no Whatsapp (https://chat.whatsapp.com/HJOvGGS8kOm0Qxlvo2VOBA), que ficará disponível até o dia 19 de dezembro, para receber propostas e novas adesões de participantes.