Arquiteta potiguar aponta as tendências e transformações do morar motivadas pela pandemia

Divulgação

O que muda no morar após a pandemia da Covid-19? O confinamento trouxe a necessidade de adaptar o lar para acomodar todas as atividades que passaram a ser realizadas em casa: trabalho, estudos, lazer, refeições e exercícios físicos. Como será que o lar se adaptará para os próximos desafios? Como lidaremos com a limpeza e a organização da morada após o controle do vírus? Como será a nossa interação social, diante de novas medidas de distanciamento e de higiene? E a tecnologia, que nos forçou a migrar para o universo on? A arquiteta potiguar Karenina Hentz da Cunha Lima aponta as tendências e transformações que estão ganhando força com a pandemia da Covid-19.

“O tempo maior que estamos passando em casa está evidenciando os cuidados que devemos ter em relação a como nos sentimos em nossas residências. A relação com o espaço que a gente ocupa ganhou uma importância ainda maior. A pandemia trouxe novas tendências para projetos residenciais, assim como acelerou outras que já vinham em crescimento como, por exemplo, a preocupação de espaços cada vez mais aconchegantes em nossas próprias residências,” explica Karenina.

O trabalho remoto vinha em crescimento nas empresas e algumas casas já estavam adaptadas para isso. No entanto, de acordo com a arquiteta, a pandemia acelerou a tendência do home office — e não apenas com uma bancada para o computador, mas também com preocupações com os condicionamentos do conforto térmico, acústico e lumínico. “É importante termos um espaço reservado para o home office, bem como é imprescindível um local adequado para aulas remotas, no caso das famílias que têm crianças, além de espaços destinados para momentos de interação, que agora se adequam aos novos hobbies como a jardinagem ou a tendência crescente do ‘faça você mesmo’ “, indica ela.

De acordo com Karenina, os novos hábitos de higiene vieram para ficar. O hall de entrada, por exemplo, que é uma área de transição entre a rua e a casa, ganha importância. “É um espaço para higienização, onde se pode deixar bolsas, sapatos, sem levar a sujeira da rua para dentro de casa. Ele pode ser complementado com ganchos e mancebos para pendurar os itens recém-retirados, sapateira, banquinho e mesinha. Tudo para tornar mais prático o tira-põe ao chegar e sair de casa “, diz ela.

A bancada de estudos no quarto dos filhos tinha caído em desuso, mas voltou com tudo nos novos projetos durante a pandemia. Segundo a arquiteta, os estudos e o trabalho em casa também elevam a preocupação com a distribuição da internet pelos cômodos. “A experiência da quarentena, com a família toda em casa em tempo integral, vai refletir nos layouts daqui para frente”, avalia. Para a profissional, as pessoas voltaram a dar bom uso também aos espaços sociais do lar com foco no lazer. “A valorização de espaços de entretenimento em casa passou a ser ainda maior. Desde o início da pandemia, as pessoas passaram a prestar mais atenção em suas casas e como ela pode oferecer, além de abrigo, diversão em família”, acrescenta.

O isolamento social também fez com que as pessoas fizessem a maioria das refeições em casa e, consequentemente, passassem mais tempo na cozinha. “A cozinha foi mais valorizada neste período. Assim como os outros cômodos da casa, ela precisa ser agradável e funcional”, diz Karenina. Áreas verdes em casa são cada vez mais desejadas e trazem vários benefícios: o contato com a natureza promove bem-estar e traz conforto térmico e alívio visual. “O cultivo das plantas também vira um momento de descompressão” finaliza.

Informações à imprensa:
Mosaique Comunicação
http://mosaiquecomunicacao.com.br
Ulysses Freire – DRT 1716/RN – (84) 98829-4375

G1: Nove prefeituras potiguares aderem a consórcio para compra de vacinas contra Covid-19

Lista divulgada pela Frente Nacional de Prefeitos não inclui Natal, mas prefeitura diz que aderiu a programa.

Aplicação de vacina Coronavac, contra a Covid-19, em Natal (Arquivo) — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi
Kleber Teixeira

Nove das 167 prefeituras de municípios potiguares aderiram ao consórcio que deverá ser criado pela Frente Nacional de Prefeitos para tentar compra de vacinas contra Covid-19, segundo lista divulgada pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) na última sexta-feira (5).

O consórcio municipal por mais vacinas contra Covid-19 no Brasil, coordenado pela entidade, obteve um total de 1.703 prefeituras inscritas até o prazo final, que terminou às 12h da última sexta-feira (5).

A lista de cidades que aderiram divulgadas pela FNP na sexta-feira, não incluía Natal – uma das três únicas capitais fora do projeto. Porém, questionada nesta segunda-feira (8), a Prefeitura de Natal informou que a capital potiguar aderiu ao consórcio e recebeu confirmação por parte da FNP.

As cidades potiguares que aderiram foram as seguintes:

  • Caicó – 68.343 moradores
  • Assu – 58.384 moradores
  • Apodi – 35.874 moradores
  • Alto do Rodrigues – 14.728 moradores
  • Jardim do Seridó – 12.396 moradores
  • Umarizal – 10.520 moradores
  • Serra Negra do Norte – 8.092 moradores
  • Itaú – 5.897 moradores
  • Santa Maria – 5.621 moradores
  • Natal informou que aderiu ao programa, embora não apareça na lista da FNP

O movimento das cidades teve início após o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar que estados e municípios comprem e distribuam doses do imunizante.

A Frente Nacional de Prefeitos reúne as 412 cidades com mais de 80 mil habitantes, mas qualquer município brasileiro teve a chance de aderir ao consórcio, sem custo para as prefeituras.

Próximos passos do consórcio

  • Os custos para a formação legal do consórcio público serão pagos pela FNP.
  • Os municípios terão 15 dias para aprovar um projeto de lei nas Câmaras municipais que autorizam a adesão ao consórcio público.
  • Somente após a constituição legal, com a criação de um CNPJ e a escolha de diretoria, o consórcio estaria apto a fazer a compra de vacinas.

Após a reunião que formalizou o início da consórcio, na segunda (1º), o presidente da FNP, Jonas Donizette, afirmou que a primeira opção é usar recursos do governo federal para compra de vacinas, mas transferências de verbas por organismos internacionais, participação da iniciativa privada ou mesmo a compra via cota dos municípios serão discutidas.

A FNP informou que o consórcio tem interesse em todas as vacinas que não estiverem no escopo do Ministério da Saúde, mas que possuam aprovação para utilização na Anvisa ou em organismos internacionais.

Fecomércio: Valor médio de auxílio emergencial será de R$ 250,00

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje (8) que o valor médio do novo auxílio emergencial deve ser de R$ 250 por pessoa. A declaração foi dada em entrevista à imprensa no Palácio do Planalto, após reunião com o presidente Jair Bolsonaro para tratar da compra da vacinas contra covid-19. “É vacina, e justamente manter a economia em movimento, esta é a prioridade do governo”, disse.

A expectativa é que o valor comece a ser pago ainda neste mês, com a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 186/2019, a chamada PEC Emergencial. O texto possibilita o pagamento do auxílio com créditos extraordinários sem ferir o teto de gastos públicos.

De acordo com Guedes, a decisão sobre a amplitude do auxílio emergencial é do Ministério da Cidadania. “Nós [Ministério da Economia] só fornecemos os parâmetros básicos”, disse o ministro. Segundo ele, o valor para mulher chefe de família monoparental deve ser de R$ 375 e, no caso de homem, de R$ 175. “Se for casal, já são R$ 250”, informou.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Tiveram direito aos repasses, obedecendo a uma série de critérios econômicos e sociais, integrantes do Bolsa Família, cidadãos incluídos no Cadastro Único (CadÚnico), além de trabalhadores informais, contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e microempreendedores individuais que solicitaram o benefício por meio de plataformas digitais ou aplicativo da Caixa Econômica Federal.

Câmara de Natal renova suspensão das atividades legislativas até 14 de março

Divulgação

A Câmara Municipal de Natal prorrogou até o dia 14 de março de 2021 a suspensão das atividades presenciais legislativas e administrativas, ainda em razão da pandemia do novo coronavírus. A decisão, que mantém todas as medidas previstas no Ato 04 de 01 de março de 2021, será publicada no Diário Oficial do Município dessa terça-feira (09) e entra em vigor no mesmo dia. 

O Legislativo municipal já vem adotando um rigoroso protocolo para evitar a disseminação da Covid-19, que inclui a obrigatoriedade do uso da máscara, higienização das mãos com álcool em gel, medições de temperatura, distanciamento social, desinfecção de ambientes, entre outros cuidados. Na última sexta-feira (5), também foi realizada uma nova desinfecção na Casa por militares da Marinha, Exército e Aeronáutica.

Com o novo Ato, o acesso às dependências da CMN continuará totalmente restrito, inclusive aos gabinetes parlamentares. Já as atividades dos setores administrativo e financeiro, que sejam indispensáveis ao mínimo funcionamento da Câmara de Natal, serão mantidas através de regime de escala e teletrabalho. 

Durante a suspensão, o Plenário poderá se reunir excepcionalmente, por convocação do Presidente, de forma virtual, através do Sistema de Deliberação Remota (SDR), assim como seus servidores, que também poderão ser convocados em caráter extraordinário. Caso haja necessidade, na volta dos trabalhos serão realizadas sessões extraordinárias no turno matutino para compensar os dias de suspensão das atividades legislativas.

INFORMAÇÃO PARA A IMPRENSA

Diretor nacional da FEBRAC, empresário potiguar conclama classe empresarial do RN a apoiar movimento “Simplifique Já”

Divulgação

O empresário potiguar, Edmilson Pereira de Assis, presidente do grupo Interfort e diretor nacional da Federação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços de Limpeza e Conservação (Febrac), está conclamando a classe empresarial do Rio Grande do Norte a apoiar o movimento “Simplifica Já”, que defende uma reforma tributária mais simples e com desoneração. Segundo ele, em todo o País, mais de 118 entidades empresariais já estão encampando o movimento, para pressionar o governo e o Congresso pela aprovação de reformas que contemple, inclusive, a desoneração da folha salarial.

“O Movimento Simplifica Já congrega sobretudo entidades do setor de serviços e defende uma versão menos ambiciosa e conflituosa da proposta de reforma tributária. Esse ponto, não contemplado nas Propostas de Emenda à Constituição (PEC) que estão em análise no Congresso, é considerado urgente no atual cenário em que a taxa de desemprego está em 14%”, explica.

A exemplo do que defende o ex-secretário da Receita Federal Marcos Cintra, Pereira diz ser necessário “mudar o foco da reforma tributária”. Na opinião do empresário, o objetivo do “Simplifique Já” é apenas simplificar os impostos e contribuições do país, e não “revolucionar” a estrutura vigente de impostos e contribuições do país.

Pereira exemplifica e diz que a uniformização das legislações do ICMS e do ISS preserva o atual pacto federativo e supera um dos grandes empecilhos à reforma tributária, que é a mudança na distribuição de receitas entre os Estados e municípios.

“O movimento defende a implantação do Imposto sobre Valor Agregado (IVA) Dual, como prefere o ministro da Economia, Paulo Guedes. A PEC 45, principal proposta em análise no Congresso, propõe um IVA unificado”, revela.

O movimento “Simplifique Já” apoia a Emenda Substitutiva Global 144, apresentada pelo senador major Olímpio (PSL-SP) à PEC 110, que tramita no Senado. Edmilson Pereira acredita que a tramitação será facilitada, uma vez que há um acordo no Congresso pelo qual a reforma tributária será analisada primeiro no Senado.

Como representante do setor de serviços, Edmilson Pereira confessa que está preocupado com o risco de o eventual relatório do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), relator da comissão especial de reforma tributária, ser aprovado de afogadilho. “O texto, ainda não conhecido, parece privilegiar a proposta da PEC 45, que aumenta a tributação sobre o setor”, assinala.

Outra preocupação do empresário é o fato de as propostas de IVA não contemplarem formas de compensação tributária para empresas intensivas em mão de obra, como várias que fazem parte da cadeia econômica do Rio Grande do Norte. “A reforma tributária tem de ser boa para todo. Por isso, o movimento defende a desoneração da folha”, disse.

O diretor da FEBRAC revela que o setor agrícola está simpático ao movimento “Simplifica Já”, mas ainda discute internamente um apoio formal. Dessa forma, o setor de serviços ganharia uma adesão importante. A indústria e o setor financeiro apoiam a PEC 45.

Mulheres têm conquistas, mas caminho ainda é longo para igualdade

“Nada nos é oferecido, tudo é uma conquista”, diz Conceição Evaristo

Tânia Rêgo

Ser mulher é enfrentar um desafio diferente todos os dias. É superar barreiras, muitas vezes, invisíveis. Apesar de serem a maioria da população brasileira (51,8%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE), elas ainda enfrentam cenários desiguais, seja na divisão das tarefas domésticas ou nos ganhos no mercado de trabalho. Muitas vezes, elas assumem tripla jornada. Saem para trabalhar, cuidam da casa, dos filhos. Em vários lares, elas são arrimo e sustentam sozinhas suas famílias. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), em 2018, 45% dos domicílios brasileiros eram comandados por mulheres.

Mas, apesar de liderarem casas e assumirem as contas, as mulheres ainda têm de lidar com a discriminação. Estudo do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) mostra que 90% da população mundial ainda tem algum tipo de preconceito na questão da igualdade de gênero em áreas como política, economia, educação e violência doméstica.

Segundo o estudo, que analisou dados de 75 países, cerca de metade da população considera que os homens são melhores líderes políticos do que as mulheres, e mais de 40% acham que os homens são melhores diretores de empresas. Além disso, 28% dos consultados consideram justificado que um homem bata na sua esposa. Apesar da longa jornada enfrentada por elas ao longo da história, os números mostram que ainda há muito a caminhar.

Marco histórico

Considerado marco histórico na luta das mulheres por mais oportunidades e reconhecimento, o 8 de março foi instituído como Dia Internacional da Mulher, pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1975.

Muitos historiadores relacionam a data a um incêndio ocorrido, em 1911, em Nova York, no qual 125 mulheres morreram em uma fábrica têxtil. A partir daí, protestos sobre as más condições enfrentadas pelas mulheres trabalhadoras começaram a ganhar espaço.

Mais de um século depois, as mulheres seguem na luta por igualdade de direitos

UN Tribunal Judges,Martha Halfeld Furtado de Mendonça Schmidt

A juíza brasileira Martha Halfeld é a primeira mulher a ocupar a presidência do Tribunal de Apelações da ONU – UN Photo/Loey Felipe

Para a juíza Martha Halfeld, primeira mulher a ocupar a presidência do Tribunal de Apelações da Organização das Nações Unidas, não há mais espaço para a ideia de “concessão masculina”. Tudo o que as mulheres conseguiram, ao longo da história, foi com base em muito trabalho, dedicação e suor. Na visão da juíza, o 8 de março deve ir muito além de flores ou presentes.

“Oferecer a rosa, pode ser visto como: eu te concedo uma assistência. Eu, homem, te concedo aquilo. Hoje, não existe mais espaço para eu concedo. Não, nós conquistamos. E nós conquistamos com muito trabalho um espaço de perfeita igualdade em termos intelectuais, pelo menos. Temos tanta capacidade intelectual quanto qualquer homem”, afirma Halfeld que permanece na presidência da Corte até janeiro de 2022 e segue na ONU até 2023.

Livro como arma

Para conquistar um espaço na academia e na literatura, a mineira Conceição Evaristo sabe o quanto teve de lutar. Sua primeira arma foi o livro, que a acompanhou desde a infância pobre vivida em Belo Horizonte. “Eu não tinha muita coisa em termos materiais. Brinquedo era uma coisa rara, passear era uma coisa muito rara, viajar muito menos. Então, o livro vem preenchendo um vazio. A escola onde estudei os meus primeiros anos primários tinha uma biblioteca muito boa. Desde menina, eu sempre gostei de leitura.”, conta.

Segunda de nove irmãos, a escritora foi criada pela mãe e por uma tia. Conceição, que trabalhou como empregada doméstica e lavadeira, foi a primeira da família a conseguir um diploma universitário.

Depois da graduação, veio o mestrado, o doutorado e as aulas em universidades públicas. Em paralelo aos estudos, ela se dedicava a outra paixão: a escrita. Seus  contos e poemas foram publicados na Série Caderno Negros, na década de 1990, e seu primeiro livro, o romance Ponciá Vicêncio, foi publicado em 2003.

Conceição Evaristo

Para escritora Conceição Evaristo, o 8 de março é um momento de reflexão e vigília constante – Marcello Casal JrAgência Brasil

Em 2019, foi a homenageada do Prêmio Jabuti, um dos mais importantes da literatura brasileira. “Foi preciso um prêmio me legitimar. Enquanto eu não ganhei o Jabuti, as pessoas não acreditaram que estavam diante de uma escritora negra”, afirma.

Reconhecida como uma das escritoras brasileiras mais importantes da atualidade, Conceição conta que as barreiras que teve de enfrentar por toda sua vida foram o combustível para suas obras. “A minha escrita é profundamente contaminada pela minha condição de mulher negra. Quando eu me ponho a criar uma ficção, eu não me desvencilho daquilo que eu sou. As minhas experiências pessoais, as minhas subjetividades, o lugar social que eu pertenço, isso vai vazar na minha escrita de alguma forma.”

Para ela, o 8 de março é uma data para ser celebrada, mas também um momento de reflexão e de vigília constante. “Todas as mulheres precisam ficar alertas àquilo que é do nosso direito, àquilo que nós temos de reivindicar sempre porque nada, nada nos é oferecido, tudo é uma conquista”, conclui.

Fonte: agência Brasil

Fecomércio: aponta prioridades para a retomada do crescimento econômico

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) listou as propostas que considera fundamentais para a retomada do crescimento econômico do País, entre as 35 enviadas como prioritárias pelo Executivo ao Congresso Nacional.

Em fevereiro, na abertura do ano legislativo, o governo enviou 20 matérias para a Câmara e 15 para o Senado, solicitando urgência nas votações. A maioria impacta diretamente o setor terciário e pode impulsionar um cenário de estabilidade econômica.

Entre as prioridades apontadas pela Confederação, está a PEC da Reforma Tributária (45/2019), que busca simplificar o sistema fiscal do País, ao prever a unificação dos tributos sobre consumo. Atualmente, existem mais de 5 mil regulamentos sobre impostos, como ICMS, IPI, PIS/Cofins e ISS.

A CNC é favorável a esta matéria, defendendo a simplificação, sem aumento da carga tributária e com a adoção de alíquotas diferenciadas por atividade e para alguns produtos, além da manutenção dos incentivos da Zona Franca de Manaus e das Áreas de Livre Comércio.

Geração de empregos e renda

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, reforça que a reforma precisa atender às necessidades de arrecadação e organização, mas sem prejudicar as empresas e seus trabalhadores. “Estou confiante de que a reforma vai contribuir para a geração de empregos e renda e, por consequência, para a recuperação da economia brasileira”, afirma Tadros, que lidera o grupo de trabalho criado pela CNC para analisar os projetos de reforma tributária em discussão no Congresso. “Nosso propósito é colaborar com ideias e reflexões nesse sentido, e algumas das nossas sugestões já foram, inclusive, acatadas pelo governo.”

A entidade também é favorável à aprovação da PEC Emergencial (186/2019), que prevê uma série de medidas para o controle das contas públicas nos âmbitos federal, estadual e municipal, o que reativa o interesse de investidores, segundo análise da Confederação.

“É preciso se atentar à dívida pública interna e evitar o aumento da carga tributária. É fundamental garantir um ambiente de segurança jurídica e o fortalecimento da democracia, com poderes harmônicos, mas independentes entre si, para que o Brasil seja reconhecido como um país moderno, dinâmico e ativo”, ressalta o presidente da CNC.

Equilíbrio das contas públicas

Outra proposta apoiada pela CNC e que reduz custos para a sociedade é a PEC da Reforma Administrativa (32/2020), que descarta a regra jurídica única atual e altera as formas de vínculo de servidores com a Administração Pública, ampliando para cinco modalidades: cargo com vínculo por prazo indeterminado, cargo típico de Estado, cargo de liderança e assessoramento, vínculo de experiência, por prazo determinado, cargo típico de Estado e cargo de liderança e assessoramento. O objetivo da proposta é equilibrar as contas públicas da União, estados e municípios, além de modernizar o serviço público.

Diretamente ligadas ao setor, também foram elencadas como protagonistas para a retomada do crescimento as matérias que tratam do marco legal das startups, do setor elétrico, das ferrovias e o Código Comercial.

Veja o documento com o detalhamento das propostas do setor: https://materiais.cnc.org.br/projetos-prioritarios-cnc-2021

Prefeitura de Parnamirim: Semur fiscaliza funcionamento do comércio e orienta populares

Ascom

A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Parnamirim atuou na manhã deste sábado (6), no centro da cidade, com um trabalho de fiscalização e orientação de clientes e comerciantes. 

Em nome da Prefeitura de Parnamirim, os agentes da Semur visitaram diversos estabelecimentos esclarecendo dúvidas e reforçando as determinações dos decretos municipais. 

Entre os pontos abordados, o horário de funcionamento do comércio, das 8h às 17h na semana e das 8h às 15h no sábado foi o questionamento feito com mais frequência. Muita gente abordava os agentes nas ruas e  aprovava o trabalho do órgão, nesta manhã, cientes da necessidade de orientar mas também de fiscalizar. 

O cumprimento das medidas estabelecidas nos decretos municipais é de fundamental importância para o não avanço da pandemia na cidade, e a manutenção, de forma segura, das atividades econômicas. Atentos à movimentação na região central de Parnamirim, os agentes ainda flagraram uma situação de veiculação de publicidade com som alto sem autorização, por parte da Semur. Os servidores cumpriram com seu dever e, prontamente promoveram o encerramento das atividades por parte do condutor do veículo, que compreendeu e não opôs resistência. 

A fiscalização é diária em Parnamirim, nos períodos do dia e noite, e eventuais descumprimentos dos decretos podem e devem ser denunciados pelo 156, da Guarda Municipal ou pelo 190, da Polícia Militar. 

Prefeito Álvaro Dias acompanha atendimentos realizados no Centro de Enfrentamento à Covid do Cemure

Tags: SMS

Prefeito Álvaro Dias acompanha atendimentos realizados no Centro de Enfrentamento à Covid do Cemure

Crédito da imagem: Alex Régis

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, visitou neste domingo (07) o Centro de Enfrentamento á Covid instalado no Cemure, na Cidade da Esperança, para acompanhar o andamento dos trabalhos no local. Durante este final de semana, foram realizados 376 atendimentos, sendo 186 no sábado e 190 no domingo. Com o aumento da demanda, o prefeito determinou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que promovesse a abertura do Centro nos finais de semana. 

“Com o recrudescimento da pandemia na capital potiguar, resolvemos abrir o Centro de Enfrentamento no Cemure, nos finais de semana. Aqui os pacientes são acolhidos, passam pela triagem, consulta médica, caso seja necessário são testados e recebem os medicamentos para iniciar o tratamento precoce contra a Covid. A gestão Municipal tem feito sua parte, com diversas iniciativas para proteger, cuidar e salvar a vida do cidadão natalense”, destacou o prefeito. 

O chefe do executivo municipal lembrou ainda que além da abertura do Centro de Enfrentamento do Cemure, aos finais de semana, a Prefeitura dobrou a capacidade de leitos críticos do Hospital de Campanha que saltou para 40 UTI’s; Também transformou o Hospital dos Pescadores, em uma unidade exclusiva para tratamento da Covid-19; Estendeu o horário de funcionamento de 10 Unidades Básicas de Saúde abastecidas com medicamento; está avançando com a vacina da população, atingindo os idosos na faixa etária de 80 anos; intensificou as fiscalizações para combater o descumprimento dos decretos municipais; vem executando campanhas de conscientização nos meios de comunicação e mídias sociais a respeito das medidas de prevenção e nas próximas semanas vai abrir o Hospital Dia, no Palácio dos Esportes.

“Essa é mais uma iniciativa que vamos executar de forma pioneira. O local vai funcionar com até 50 boxes com poltronas e suporte de soro para proporcionar atendimento médico rápido e ágil, oferecendo aos pacientes todos remédios recomendados nas fases iniciais da doença. Além disso, será disponibilizada uma sala de urgência e estabilização para dar suporte aos casos mais graves. Queremos fazer essa abordagem de forma mais eficiente, para evitar internações e a sobrecarga do nosso sistema de saúde”, ressaltou Álvaro. 

O prefeito aproveitou para ressaltar a importância da população continuar seguindo as recomendações preconizado pelas autoridades de saúde: “É preciso que a gente colabore. Vamos continuar usando máscara, álcool em gel, evitando aglomerações e saindo só em situações de extrema necessidade. A união da sociedade é um fator preponderante para vencermos esse momento difícil”, afirmou Álvaro Dias.

Governo do RN: Governadora acompanha toque de recolher através de câmeras do Ciosp

Sandro Meneses

A governadora Fátima Bezerra acompanhou neste domingo (07) as ações das forças integradas de segurança pública que fiscalizam o toque de recolher determinado pelo decreto estadual 30.388/21. O acompanhamento foi feito por meio das câmeras do sistema de videomonitoramento do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) – órgão de controle de emergências da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed).

Ao lado dos secretários Francisco Araújo (Segurança) e Fernando Mineiro (Gestão de Projetos e Metas), a governadora foi até o Ciosp e fez uma avaliação positiva do segundo dia da operação: “Como podemos ver pelas imagens das câmeras, não há pontos de aglomeração e a população entendeu a nossa postura, aderindo à nossa recomendação de ficar em casa, o que quero agradecer aos potiguares. Sou grata também às forças policiais do Estado, sob a liderança do coronel Araújo, que têm atuado de forma integrada para ajudar a vencer esse vírus”, declarou.

Hoje (07) é o segundo dia de vigência do decreto estadual, que determina o toque de recolher durante todo o dia nos domingos e feriados, e das 20h às 6h nos demais dias da semana. “A governadora foi, mais uma vez, protagonista ao emitir um decreto que limita a circulação de pessoas e o cumprimento da orientação do Governo está sendo bem sucedida”, completou o vice-governador, Antenor Roberto.

Para o coronel Araújo, “as câmeras potencializam as atividades das forças de Segurança, que estão agindo de forma integrada para enfrentar a pandemia, executando desde ações simples como orientar pessoas a usarem a máscara, até coibir festas e aglomerações. Estamos na rua para ajudar”, disse.

Ainda no Ciosp, Fátima Bezerra revelou que, na noite de sábado (06), ligou para o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e dele obteve a garantia do envio de aparelhos respiradores convencionais que possibilitarão a sustentabilidade dos leitos críticos de UTI no Rio Grande do Norte. A previsão é que os equipamentos sejam entregues na próxima terça-feira (09). 

INVESTIMENTOS

O sistema de videomonitoramento possui câmeras integradas que funcionam 24 horas por dia e foi ampliado pelo Governo do RN com o investimento de R$ 6,9 milhões em recursos viabilizados pelo projeto Governo Cidadão e pelo Banco Mundial.

Os equipamentos são do tipo PTZ que realizam movimentos de 360 graus e são altamente eficazes na identificação de atos de descumprimento do decreto, como aglomerações de pessoas e o funcionamento indevido de estabelecimentos. Somente na Grande Natal há 144 câmeras monitoradas pelo Ciosp que cobrem, inclusive, as praias urbanas de Natal, em um percurso que vai de Ponta Negra à Redinha. Nas praias, é permitido apenas a prática esportiva individual, como surf e caminhadas. A operação de fiscalização se estende por todos os 167 municípios do estado.

“Para além das ações específicas da segurança pública em si, o Ciosp, que foi financiado com recursos do Estado via empréstimo viabilizado junto ao Banco Mundial, tem um papel inovador nesta pandemia. Esse é um espaço que dá orgulho de apoiar e que temos que fazer isso de forma continuada”, defendeu o secretário Fernando Mineiro, coordenador do Projeto Governo Cidadão e do Pacto Pela Vida.

A operação Toque de Recolher tem o objetivo de fiscalizar, orientar e coibir aglomerações, eventos paredões e a circulação desnecessária. É comandada pelo secretário de segurança, coronel Francisco Araújo. Em Natal, envolve as Polícia Civil e Militar, o Corpo de Bombeiros Militar (CBMRN) e órgãos municipais:  Guarda Municipal, Semsur (Secretaria Municipal de Serviços Urbanos) e STTU (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana). 

Acompanharam a governadora na ida ao CIOSP o secretário adjunto da Sesed, delegado Osmir Monte; a delegada geral da Polícia Civil, Ana Cláudia Saraiva; o comandante da Polícia Militar, coronel Alarico Azevedo; o comandante do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRN), coronel Monteiro Júnior; e o diretor do Ciosp, Tenente-Coronel Kleber Macedo