Casa de Cultura de Caicó monta Mini-Museu do Sertanejo

A Casa de Cultura Popular de Caicó Palácio Padre Brito Guerra montou um Mini-Museu do Sertanejo que está recém aberto à visitação. A ideia surgiu quando as agentes de cultura Anailza Viola e Edna Damasio resolveram ampliar o acervo já existente na Casa de Cultura e saíram garimpando mais objetos pelas redondezas e contaram com a generosidade e sensibilidade das pessoas que tinham peças antigas em casa. Embora pequeno, o acervo com cerca de 180 peças contém algumas relíquias com mais de 150 anos. “É louvável a iniciativa de preservar a história através de objetos e indumentárias que, por si só, contam a história do nosso homem sertanejo. A Fundação José Augusto se sente orgulhosa com a iniciativa dessas agentes de cultura. E esperamos que outras iniciativas como essa se espalhem pelo nosso Estado”, disse o diretor geral, Crispiniano Neto.   Segundo informaram as duas agentes, elas saíram por sítios, fazendas e casas antigas, de amigos e familiares, onde conseguiram a doação de mais peças, já que existiam algumas na Casa de Cultura e que serviram de inspiração para elas montarem o Mini Museu. Dessa forma, nasceu o espaço que foi instalado na parte de baixo da Casa de Cultura para facilitar o acesso das pessoas de qualquer idade. “Caicó não tem um museu e a cultura sertaneja tende a desaparecer. Então, precisamos resgatar nossos costumes, indumentárias e a própria história para apresentar às gerações futuras”, diz Anailza Viola. Edna Damásio acrescenta que o foco dessa iniciativa é mostrar a origem da  cultura sertaneja, ensinar as gerações futuras de onde viemos e quais eram os costumes, o Gibão do Vaqueiro, as panelas de ferro e barro, o ferro a brasa”, enumera ela. O público-alvo é a população em geral. Mas as agentes de cultura acreditam que a clientela das escolas poderá aprender bastante com a visitação.