Delator de Lula nega pressão da Lava-Jato para incriminar ex-presidente

O Globo

A delação de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, aguarda homologação e deve conduzir a novas operações da Lava-Jato neste ano Foto: Reprodução
Foto: Divulgação

SÃO PAULO E RIO – O empresárioLeo Pinheiro , ex-presidente da construtora OAS , afirmou em carta enviada ao jornal “Folha de S.Paulo” que não mentiu em sua delação premiada e nem foi coagido pelos procuradores da operaçãoLava-Jato ao incriminar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O GLOBO revelou no último mês de janeiro que o empresárioassinou uma colaboração com a Procuradoria-Geral da República (PGR) ,  que ainda não foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

SÃO PAULO E RIO – O empresárioLeo Pinheiro , ex-presidente da construtora OAS , afirmou em carta enviada ao jornal “Folha de S.Paulo” que não mentiu em sua delação premiada e nem foi coagido pelos procuradores da operaçãoLava-Jato ao incriminar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O GLOBO revelou no último mês de janeiro que o empresárioassinou uma colaboração com a Procuradoria-Geral da República (PGR) ,  que ainda não foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“A minha opção pela colaboração premiada se deu em meados de 2016, quando estava em liberdade e não preso pela Operação Lava Jato. Assim, não optei pela delação por pressão das autoridades, mas sim como uma forma de passar a limpo erros”, afirma o delator, na carta divulgada pela “Folha” na manhã desta quinta-feira.