Plano de Retomada que teve suporte do Sistema Fecomércio, por meio do Senac, leva RN a receber Selo Internacional de Destino Turístico Seguro

Imagem: Divulgação

O Rio Grande do Norte é o primeiro estado brasileiro a receber o selo de “viagem segura” (Travel Safety Stamp), criado pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo, e que tem o respaldo da Organização Mundial do Turismo e de mais de 200 CEOs das principais empresas de turismo do mundo, tais como: Hilton, Radisson Hospitality, Marriott International, Expedia, InterContinental Hotels Group, Grupo Accor, Grupo Trip.com, Hyatt, Booking.com, entre outros.

A obtenção do selo foi possível graças a uma iniciativa da Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur) e teve como base o Plano de Retomada do Turismo Potiguar, desenvolvido com o apoio do Sistema Fecomércio RN, por meio do Senac, e que incluiu Protocolos e a criação de cursos para capacitar empreendedores e seus colaboradores a implantá-los.

“Não dá para retomar as atividades sem adotar regras e procedimentos nesta área. E no setor de turismo isso é ainda mais premente. Por um motivo simples: o turista transfere sua casa, sua residência, para o seu destino turístico. Hotéis, pousadas e similares viram o lar do turista durante sua viagem. Então este segmento precisa, de fato, de um cuidado ainda mais apurado nesta questão. As capacitações irão habilitar os envolvidos na cadeia produtiva do turismo para implementação das normas de biossegurança exigidas no documento, para o pleno funcionamento das atividades no contexto pós-Covid 19. Importante, ainda, destacar que os cursos estão sendo ofertados, em sua maioria, de maneira gratuita, e todos em EAD”, afirma o presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz.

A secretária de turismo do RN, Aninha Costa, destaca a importância do selo internacional e diz que ele traduz o trabalho que vem sendo realizado de forma profissional e participativa. “Para obtenção deste importante reconhecimento, contamos com a participação ativa do Sistema Fecomércio por meio do Senac, Sebrae, Secretaria Estadual de Saúde, todas as entidades do trade turístico potiguar e o conselho dos cinco polos turísticos do estado. Um trabalho realizado de forma conjunta buscando gerar os benefícios reais aos turistas e transformar o RN em um destino que planeja a atividade com seriedade e profissionalismo para colaborar com a retomada da economia em nosso estado”, diz ela.

Importante destacar que para o selo ser validado, os protocolos adotados no destino precisam atender a requisitos que equilibrem biossegurança e viabilidade. Por isso são aceitos somente aqueles que propõem regras sanitárias, de saúde, desinfecção, distanciamento e segurança em equilíbrio com a viabilidade econômica de sua aplicabilidade nos negócios de todos os portes, tornando-os efetivamente exequíveis.

Dentro do 1% das melhores escolas do país, CEI Mirassol permanece no pódio do ENEM 2019 no RN

Foto: Divulgação

Por mais um ano consecutivo, o colégio CEI MIRASSOL é referência no ranking do ENEM 2019, ocupando o 86° lugar entre as melhores escolas do país. Cerca de trinta mil estabelecimentos de ensino brasileiros participaram do certame. A nível de Rio Grande do Norte, a escola se destaca em 2° lugar em Natal ( considerando as escolas com todos os segmentos da Educação Básica)
e 3º lugar geral no Rio Grande do Norte.

“Mais uma vez, continuamos no pódio do ENEM no Rio Grande do Norte. Além disso, é motivo de orgulho para nossos docentes e alunos saber que a nossa escola está dentro do percentual de 1% das melhores escolas do País” comemora a diretora, Corina Amorim.

A educadora destaca ainda a performance do colégio. “Esse resultado, que tanto nos orgulha, é fruto da dedicação dos nossos alunos, dos nossos docentes, de toda equipe pedagógica e das famílias que confiam em nossa proposta e estão sempre em busca do melhor para os seus filhos, assina Corina Amorim”.

Destacando que a escola é participante do seleto grupo “Top 25”, que elenca as 25 melhores escolas da região Nordeste do Brasil, Corina Amorim ainda ressalta que o CEI Mirassol conquistou a 2ª maior nota do estado de redação.

Fecomércio: Para 95% dos RHs, processos seletivos 100% digitais vieram para ficar

Mesmo diante a retração da economia, muitas organizações continuam contratando. Afinal, nunca foi tão importante contar com colaboradores talentosos para a retomada dos negócios.

Mas, como os Recursos Humanos estão lidando com as mudanças provocadas pelo isolamento social? Quais são as principais transformações que a área precisa aderir para se adequar ao novo mercado?

Pensando nisso, o Instituto Locomotiva, em parceria com a Cia de Talentos e a Acesso Digital, realizaram a pesquisa ‘Impactos do Covid-19 no Trabalho em Grandes Empresas’.

O estudo entrevistou profissionais de RH de importantes organizações brasileiras e descobriu que 91% estão satisfeitos com as medidas de segurança ao Covid-19 aplicadas pelas companhias.

Dentre elas, o home office, em que 85% estão trabalhando totalmente, ou parcialmente, à distância. A boa notícia é que 47% das organizações já estavam acostumadas ao trabalho remoto ( quando era necessário, ou no caso de empresas que disponibilizam um dia de home office na semana) – Porém, 53% estão atuando nesse formato pela primeira vez.

O dado demonstra como o mercado nacional, ainda, adia o investimento em tendências importantes, como a transformação tecnológica. Outro exemplo de atraso que custa caro às organizações, é a falta de cuidados com a saúde mental dos colaboradores.

De acordo com a pesquisa, 96% dos profissionais de RH perceberam os talentos mais ansiosos, estressados e preocupados em perder seus empregos.

No entanto, apenas 32% acreditam que as empresas estão investindo corretamente na manutenção da motivação e do engajamento dos talentos durante a pandemia.

Outro gap descoberto foram os custos por contratação. 42% dos profissionais de RH revelaram desconhecer o valor que um processo seletivo, desde o recrutamento até a efetivação de um candidato, exige das empresas.

Na maioria das companhias, a contratação, desde o processo seletivo até a admissão, leva entre 15 e 30 dias. No entanto, boa parte desse tempo ocorre devido às burocracias admissionais exigidas e, pior: 35% das empresas afirmam que já perderam talentos devido a essa demora.

Na contramão das necessidades atuais, 45% das organizações ainda não permitem que os profissionais enviem documentos admissionais por e-mail e, 47% exigem a presença física na companhia, ao menos uma vez, para efetivar a contratação.

Perceba como as organizações estão sendo convidadas a reverem rapidamente os processos que impedem a aplicação de modelos ágeis de gestão, como também a contratação de talentos que morem em outros estados, ou países (outra tendência de mercado).

47% dos profissionais entrevistados dizem que suas empresas já perceberam essa necessidade e estão implementando soluções para modernizar os processos de contratação. De acordo com o estudo, 95% dos profissionais de RH acreditam que, no futuro, o processo de contratação será 100% digital. Isso inclui:

• Sistemas unificados
• Plataformas de cadastro online
• Biometria Facial
• Identidade Digital
• Assinatura eletrônica
• Ferramentas de seleção 100% virtuais
• Utilização de redes sociais para contato com candidatos

Para a maioria dos profissionais (97%), as tecnologias digitais podem otimizar o tempo de contratação, reduzir custos e ampliar as possibilidades de encontrar os talentos que a empresa precisa. Por outro lado, 49% deles afirmam não haver incentivos da alta gestão para que essas medidas sejam aplicadas a curto prazo.

A pandemia está de passagem, assim esperamos, mas as mudanças que ela trouxe só adiantaram tendências importantes ao nosso desenvolvimento e, que não podem mais ser adiadas.

Se você é um gestor, esteja atento às transformações necessárias para manter sua empresa relevante. No caso dos profissionais, o desenvolvimento contínuo é fundamental para se manterem atualizados.

Busquem cursos e capacitações online e preparem-se para entrevistas e dinâmicas virtuais, afinal o processo seletivo online será o “novo normal!”.

Brasil passa de 60 mil mortes e 1,4 milhão de casos de Covid-19 (atualização das 13h)

G1

O Brasil passou das 60 mil mortes por coronavírus confirmadas na manhã desta quarta-feira (1º), pouco mais de 4 meses após a doença chegar ao país. Os dados são de um levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. 

Veja os dados atualizados às 13h desta quarta-feira (1): 

  • 60.194 mortos
  • 1.426.913 casos confirmados

Antes da atualização das 13h, o consórcio divulgou um primeiro boletim, às 8h. Segundo os dados disponibilizados naquele horário, pela manhã, o Brasil contava 59.745 mortos e 1.409.693 casos confirmados. 

O consórcio divulgou na terça-feira (30), às 20h, o 23º balanço, com os dados mais atualizados das secretarias estaduais naquele momento. Desde então, CE, DF, GO, MG, MS, PE, RN, RR e SP divulgaram novos dados. 

(Na terça-feira, 30, às 20h, o balanço indicou: 59.656 mortes, 1.271 em 24 horas; e 1.408.485 casos confirmados.) 

Vacinação contra Influenza imunizou mais de 190 mil pessoas em Natal

Foto: Divulgação

Encerrou nessa terça-feira (30) a campanha de vacinação contra Influenza. Mais de 190 mil pessoas foram atendidas pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS Natal) nas salas de vacinação do município. Com início em 23 de março, a campanha foi dividida em etapas que tinha público alvo composto de idosos acima de 60 anos, profissionais de saúde, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, doentes crônicos, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, grávidas, mães no pós-parto até 45 dias, pessoas de 55 a 59 anos e população indígena em geral. A partir de 01 de julho, as doses remanescentes nas unidades de saúde ficam disponíveis para qualquer pessoa que buscar a imunização.

Durante a campanha, 192.061 pessoas foram vacinadas na capital, totalizando uma média de 87,72% da população prioritária. Destas, 112.451 são idosos (131.70%), 33.909 trabalhadores da saúde (109.38%), 16.589 adultos de 55 a 59 anos (49.55%), 4.162 gestantes (48.18%), 619 puérperas (43.59%) e 24.920 crianças (41.84%). O Ministério da Saúde sugere cobertura vacinal de 90% para esses públicos e Natal conseguiu superar as metas para idosos e profissionais da saúde.

“Algumas estratégias foram utilizadas para alcançar as metas estabelecidas, como o drive para idosos no Arena das Dunas na primeira fase, que teve boa aceitação das pessoas. Por outro lado, devido à preocupação do público em comparecer aos postos de saúde com a pandemia do novo coronavírus, houve uma procura abaixo do esperado de adultos, gestantes, puérperas e crianças. Com isso, a partir de hoje, as doses que restarem nas unidades básicas de sáude ficam destinadas a todo e qualquer indivíduo que desejar se vacinar”, comenda Vaneska Gadelha, Chefe de Agravos Imunopreveníveis de Natal.

ALRN APROVA MEDIDA QUE BENEFICIA MULHERES EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE NO ESTADO

Foto:Divulgação

Hilneth Correia

As mulheres em situação de vulnerabilidade poderão receber mais uma medida de proteção no Rio Grande do Norte. É que o Projeto de Lei da deputada Cristiane Dantas (SDD), que indica a utilização do contraceptivo reversível de longa duração de etonogestrel, foi aprovado, nesta terça-feira (30), na reunião remota da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

Segundo o texto do projeto, a mulher em situação de vulnerabilidade no Estado, atendida na rede pública de saúde, terá direito à inserção gratuita de implante contraceptivo reversível de longa duração de etonogestrel, após o primeiro parto, garantindo a liberdade de opção.

Ainda de acordo com a redação, considera-se em situação de vulnerabilidade no RN a mulher entre 15 e 19 anos, de regiões com vulnerabilidade social muito alta; dependente química; moradora de rua; portadora de HIV +, que contraindique a amamentação; em privação de liberdade; puérpera de alto risco ou comorbidades; e com distúrbios de saúde mental ou rebaixamento no nível de entendimento, com laudo de avaliação psicológica.

A matéria foi aprovada à unanimidade dos presentes à reunião: Kleber Rodrigues (PL), Cristiane Dantas (SDD), Coronel Azevedo (PSC), Francisco do PT, Hermano Morais (PSB), George Soares (PL) e Raimundo Fernandes (PSDB).

Renda Brasil, o ‘novo Bolsa Família’, poderá pagar até R$ 300 por mês a beneficiários

G1

governo prepara a proposta que enviará ao Congresso Nacional para unificar o Bolsa Família e alguns programas sociais existentes. O novo programa, Renda Brasil, poderá pagar até R$ 300 por mês aos beneficiários. O valor ainda poder mudar, dependendo do número de programas a serem incorporados. 

A proposta ainda está em estudo no governo, mas uma das ideias é mudar o conceito do programa: para ter acesso ao Bolsa Família, o candidato não pode trabalhar; o “Renda Brasil” permitirá que o beneficiário tenha outra fonte de renda, mantendo o recebimento do benefício. 

A expectativa do governo é que o Renda Brasil e o Carteira Verde Amarela estejam prontos em outubro, sucedendo o auxílio emergencial, prorrogado nesta terça-feira (30). 

Auxílio emergencial

O governo quer estabelecer um cronograma diferente para o pagamento das parcelas. Como as parcelas da primeira etapa ainda estão sendo pagas, o governo pretende pagar a primeira parcela da nova etapa em agosto. 

A ideia é pagar: 

  • R$ 500 no dia 1º de agosto;
  • R$ 100 no dia 31 de agosto;
  • R$ 300 no dia 1º de setembro;
  • R$ 300 no dia 30 de setembro.

Tudo isso para o que o governo chama de “aterrissagem” dos programas para dar início à implementação do Renda Brasil. 

‘Turbinar’ programas sociais

O governo quer “turbinar” os programas sociais porque viu a necessidade de o presidente Jair Bolsonaro ampliar a base de apoio entre os mais pobres, uma vez que está perdendo apoio na classe média das regiões metropolitanas. 

O apoio de mulheres mais pobres, justamente as beneficiárias do Bolsa Família e do auxílio emergencial, apontou a pesquisa Data Folha desta semana, garantiu ao presidente Bolsonaro permanecer na faixa de 30% de apoio. 

Câmara aprova texto-base de MP que flexibiliza ano letivo

Agência Brasil

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite de hoje (30) o texto-base da Medida Provisória 934/20, que trata da suspensão da obrigatoriedade de escolas e instituições de ensino superior cumprirem uma quantidade mínima de dias letivos neste ano devido à pandemia do nov coronavírus. A votação dos destaques, que podem alterar trechos do texto-base, foi suspensa com o encerramento da sessão. 

De acordo com o texto-base aprovado, os estabelecimentos de educação infantil serão dispensados de cumprir os 200 dias do ano letivo e também a carga mínima de 800 horas.

As escolas de ensino fundamental e médio deverão cumprir a carga horária mínima de 800 horas, mas não precisam cumprir, necessariamente, os 200 dias letivos. 

O Conselho Nacional de Educação (CNE) deverá editar diretrizes nacionais para implantar a regra, segundo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e sem prejuízo da qualidade do ensino e da aprendizagem.

Em função do tempo que falta até fim do ano e da necessidade de se encaixar a carga horária, nos casos obrigatórios, dentro dos dias letivos, o projeto de lei de conversão, em que a MP foi transformada, permite que o conteúdo acadêmico deste ano seja aplicado em 2021, aglutinando duas séries ou anos escolares.

Para os alunos que estão em situação de risco de contrair o novo coronavírus, será garantido um atendimento adequado à sua condição, como o regime domiciliar ou hospitalar. Para os estudantes das redes públicas, deve ser garantida ainda a continuidade de programas de apoio, como os de alimentação e de assistência à saúde.

Aulas online

O texto permite o uso de atividade pedagógicas não presenciaciais, mas para contar como  carga horária mínima, terão de seguir critérios objetivos estabelecidos pelo CNE. Esses critérios deverão levar em conta as especificidades de cada faixa etária dos estudantes e de cada modalidade de ensino.

Aqueles sistemas de ensino que optarem pelas atividades não presenciais terão de assegurar que os alunos tenham acesso aos meios necessários para a realização dessas atividades. Se isso envolver equipamentos e assistência técnica, a União deverá ajudar estados, Distrito Federal e municípios, tanto em favor dos profissionais de educação quanto dos alunos.

Os recursos deverão vir do “orçamento de guerra” previsto na Emenda Constitucional 106, de 2020.

Enem

O projeto de lei de conversão também prevê que o Ministério da Educação deverá ouvir as secretarias estaduas de Educação para definir a nova data do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). 

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e do Programa Universidade para Todos (Prouni) deverão ter seus processos seletivo compatíveis com a data de divulgação dos resultados do Enem.

Ensino Superior

Para as instituições de ensino superior, não é preciso cumprir os 200 dias letivos, mas a carga horária prevista da grade curricular de cada curso deve ser cumprida. Pelo projeto, não deverá haver prejuízo aos conteúdos essenciais para o exercício da profissão e as atividades pedagógicas não presenciais também serão admitidas para completar a carga horária.

O texto-base aprovado autoriza a antecipação da conclusão de alguns curso da área de saúde, desde que cumpridos alguns requisitos. No caso de medicina, o aluno precisa ter cumprido 75% da carga horária do internato e nos cursos de enfermagem, farmácia, fisioterapia e odontologia, o mínimo é 75% da carga horária dos estágios curriculares obrigatórios.

A mesma situação se aplica aos cursos de educação profissional técnica de nível médio caso relacionados ao combate à pandemia. Para isso, o aluno precisará ter cumprido, no mínimo, 75% da carga horária dos estágios curriculares obrigatórios.

Em relação ao repasse de verbas da União aos entes federados no ano letivo de 2020, o projeto de lei de conversão prevê que não haja redução no cálculo dos valores dos programas.

Auxílio Emergencial: Caixa credita benefício a 6,9 milhões de trabalhadores nesta quarta; veja quem recebe

Neste grupo estão nascidos em maio e junho. Recursos serão liberados por meio da poupança social digital.

G1

A Caixa Econômica Federal (CEF) credita nesta quarta (1º) o Auxílio Emergencial a mais 6,9 milhões de beneficiários, todos fora do programa Bolsa Família.

Veja quem recebe: 

  • 5,2 milhões de trabalhadores do primeiro lote (que receberam a 1ª parcela até 30 de abril), nascidos em maio e junho, recebem a terceira parcela
  • 1,5 milhão de trabalhadores do segundo lote (que receberam a 1ª parcela entre os dias 16 e 29 de maio), nascidos em maio e junho, recebem a segunda parcela
  • 200 mil novos aprovados, nascidos em maio e junho, recebem a primeira parcela

Os recursos serão liberados em um primeiro momento por meio da poupança social digital, de maneira escalonada, conforme o mês de aniversário do trabalhador, para pagamento de contas, boletos e compras por meio do cartão de débito digital. Saques e transferências serão liberados em datas posteriores (veja ao final da reportagem os calendários de crédito e saque

Valores pagos

No total, a Caixa disponibilizará mais R$ 19,7 bilhões para 31 milhões de pessoas para pagamento da terceira parcela. 

Já na segunda parcela dos contemplados no lote 2 são 8,7 milhões de beneficiários (tiveram crédito da parcela 1 realizado entre 16/05 e 29/05) que receberão R$ 5,5 bilhões. No caso da primeira parcela dos aprovados dentro do lote 4, são 1,1 milhão de beneficiários que receberão cerca de R$ 700 milhões.

A segunda parcela para os aprovados do terceiro lote (que receberam a primeira entre os dias 16 e 17 de junho) ainda não tem data definida. 

Transferências e saque em dinheiro

Para quem vai fazer o saque em dinheiro, os pagamentos começam em 18 de julho e vão até 19 de setembro. O calendário inclui a terceira parcela, a segunda parcela para os aprovados no lote 2 e a primeira parcela para os aprovados do lote 4. Veja abaixo

  • 18 de julho – nascidos em janeiro – 3,4 milhões de pessoas
  • 25 de julho – nascidos em fevereiro – 3,1 milhões de pessoas
  • 1º de agosto – nascidos em março – 3,5 milhões de pessoas
  • 8 de agosto – nascidos em abril – 3,4 milhões de pessoas
  • 15 de agosto – nascidos em maio – 3,5 milhões de pessoas
  • 29 de agosto – nascidos em junho – 3,4 milhões de pessoas
  • 1º de setembro – nascidos em julho – 3,4 milhões de pessoas
  • 8 de setembro – nascidos em agosto – 3,4 milhões de pessoas
  • 10 de setembro – nascidos em setembro – 3,4 milhões de pessoas
  • 12 de setembro – nascidos em outubro – 3,4 milhões de pessoas
  • 15 de setembro – nascidos em novembro – 3,2 milhões de pessoas
  • 19 de setembro – nascidos em dezembro – 3,3 milhões de pessoas
Lote 1, parcela 3 - auxílio emergencial — Foto: Economia G1

Lote 1, parcela 3 – auxílio emergencial — Foto: Economia G1 https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Lote 2, parcela 2 - auxílio emergencial — Foto: Economia G1

Lote 2, parcela 2 – auxílio emergencial — Foto: Economia G1 

parcela 1, lote 4 (novos aprovados) — Foto: Economia G1

parcela 1, lote 4 (novos aprovados) — Foto: Economia G1 

Cadastro encerra em 2 de julho

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, confirmou que o dia 2 de julho é a última data para pedir o Auxílio Emergencial. 

“A partir desse dia, o cadastramento estará fechado e todas as pessoas que estão em análise pela Dataprev terão uma resposta. Todas as pessoas que se cadastrarem e forem validadas receberão todas as parcelas. Mesmo que sejam aprovadas lá pro meio de julho, receberão as três parcelas”, disse. 

Balanço

Guimarães informou que 64,1 milhões de beneficiários já receberam o Auxílio Emergencial, totalizando R$ 90,8 bilhões: R$ 40,9 bilhões para inscritos no Bolsa Família, R$ 14 bilhões para inscritos no Cadúnico e R$ 35,9 bilhões para inscritos pelo app/site do auxílio. A maior parte foi paga no Nordeste (R$ 33 bilhões).

Das 108,4 milhões de pessoas cadastradas no programa, 106,3 milhões de cadastros foram processados. Foram considerados elegíveis 64,1 milhões de beneficiários, outros 42,2 milhões foram considerados inelegíveis, 2 milhões estão em primeira análise e 1,3 milhão estão em reanálise. 

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

UNINASSAU realiza Drive-thru solidário

Ação acontece nas unidades da UNINASSAU Natal, Parnamirim e Mossoró de 01 a 31 de julho

A Faculdade UNINASSAU, será local de entrega de doações de alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal, por meio do Projeto Drive-thru solidário. A ação ocorre durante o período de 01 a 31 de julho, das 8h às 18h, e tem como objetivo minimizar os impactos provocados pelo Covid-19 na capital.

As doações podem ser feitas nas unidades localizadas em Natal, Parnamirim e Mossoró. Qualquer pessoa poderá se dirigir ao local e realizar a entrega dos donativos. Basta escolher uma unidade e depositar o donativo na estrutura localizada na entrada da Instituição, onde os voluntários seguirão todas as normas de segurança para evitar aglomerações.

O Drive-thru acontece com objetivo de distribuir essas doações para as famílias carentes que serão posteriormente selecionadas por cada unidade. “Esperamos que a vontade de ajudar e a solidariedade contagiem muitas pessoas da cidade e apoiem conosco esta causa. Que muitas pessoas possam ser ajudadas pelos alimentos e materiais de higiene arrecadados”, afirmou o diretor da UNINASSAU Mossoró, Marcondes Martins.

O diretor da UNINASSAU Natal, André Lemos, destacou a importância de mais uma ação de Responsabilidade Social da Instituição. “Procuramos sempre pensar de que forma podemos fazer a diferença na sociedade. E não seria diferente no momento tão delicado que vivemos, e ficamos felizes em colabora com essa corrente do bem”, ressaltou.