Governo do RN: Sethas oferece hoje no Sine 88 vagas de empregos

A Subsecretaria do Trabalho da Sethas-RN, através do SINE-RN, oferece hoje, dia 27 de julho, 88 vagas de emprego para Natal, Região Metropolitana,  São José de Mipibu, Mossoró, Pau dos Ferros e regiões.

Para concorrer às vagas, o(a) candidato(a) deve se cadastrar via Internet no Portal Emprega Brasil do Ministério do Trabalho e Emprego, através do endereço empregabrasil.mte.gov.br ou nos aplicativos Sine Fácil e Carteira de Trabalho Digital, disponíveis para Android e IOS.

Quer tirar alguma dúvida ou agendar um atendimento? Ligue: (84) 3190-0783, 3190-0788.

O atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 12h.

Siga o Sine-RN no Instagram: @sine.rn
 
QUANTIDADE DE VAGAS POR REGIÃO
 
Natal e Região Metropolitana
 
COMPRADOR           01
COZINHEIRO DE RESTAURANTE    01
DESENHISTA INDUSTRIAL GRÁFICO (DESIGNER GRÁFICO)    01
ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO DE LINHAS ELÉTRICAS    15
INSTALADOR-REPARADOR DE REDE ELÉTRICA    25
MECÂNICO DE MANUTENÇÃO DE ÔNIBUS    01
MECÂNICO DE MANUTENÇÃO HIDRÁULICA    01
MOTORISTA DE CAMINHÃO-GUINCHO PESADO COM MUNK    10
OPERADOR DE EXTRUSORA DE BORRACHA E PLÁSTICO    01
PIZZAIOLO    01
VENDEDOR PRACISTA    20
 
São José de Mipibu e Região
TÉCNICO DE REFRIGERAÇÃO (INSTALAÇÃO)    01
 
Mossoró e Região
 
FISIOTERAPEUTA GERAL    04
GERENTE ADMINISTRATIVO    01
MOTORISTA DE CAMINHÃO-GUINCHO PESADO COM MUNK    01
 
Pau dos Ferros e Região
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO    04
 
Total geral = 88 vagas

Prefeitura de Parnamirim: 25 anos do 3° BPM: Ato Ecumênico celebra atuação da PM em Parnamirim

Divulgação

O 3° Batalhão de Polícia Militar do Rio Grande do Norte completou 25 anos de instalação na cidade de Parnamirim no último dia 22 de julho. Para comemorar a data marcante, uma cerimônia ecumênica foi realizada no Auditório Clênio José, Centro Administrativo da Prefeitura de Parnamirim.

O ato contou com a presença do ex-comandante da PM e atual Secretário de Segurança, Defesa Social e Mobilidade Urbana de Parnamirim, Cel. Marcondes Pinheiro, um dos fundadores do 3º BPM de Parnamirim e atual comandante da Guarda Municipal, Cap. Torres, além de agentes do próprio órgão municipal. Aliás, durante a cerimônia a Guarda Municipal foi em diversas oportunidades muito elogiada, pela sua forma de atuação com seriedade, comprometimento e dedicação à elevação da sensação de segurança da população de Parnamirim.

Os presentes no ato de ação de graças acompanharam com atenção as palavras dos três reverendos convidados e receberam suas bênçãos, estendidas também às famílias dos bravos agentes de segurança pública que atuam em Parnamirim. O 3°BPM da cidade trampolim prestou nesses 25 anos relevantes serviços à população no sentido da preservação da ordem pública com atuação preventiva e ostensiva nas ruas e avenidas da cidade.

O Comandante do batalhão, Maj. Ramalho, agradeceu a oportunidade de estar presente no ato e fez a leitura de um documento oficial, elogiando seu efetivo pela atuação diária na área de atuação do batalhão, que inclui as cidades de São José de Mipibu, Nísia Floresta, Monte Alegre e Parnamirim. Diversos integrantes do batalhão foram agraciados com a entrega de certificados inerentes aos relevantes serviços prestados à população.

Estiveram presentes também os representantes da Defesa Civil e Detran/RN. Cel. Marcondes Pinheiro representou o prefeito Rosano Taveira e se disse muito honrado em ter comandado a Polícia Militar nos últimos 5 anos de sua carreira na ativa. “Nessa importante data queremos parabenizar o 3° BPM, que é exemplo para a Polícia Militar e para a população de Parnamirim”, disse.

100 milhões de brasileiros já tomaram 1ª dose ou dose única

Aproximadamente 17,8% de toda a população já completaram o esquema vacinal contra a covid-19

Percentual da população completamente imunizada ainda é baixo: 17,8%

O Brasil bateu nesta terça-feira (27) a marca de 100 milhões de pessoas vacinadas contra a covid-19 com pelo menos uma dose ou com dose única, 191 dias após o início da campanha de imunização no país.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 96,5 milhões já receberam a primeira dose de um dos imunizantes CoronaVac, Pfizer ou AstraZeneca, enquanto 3,87 milhões tomaram a vacina de dose única da Janssen, totalizando 100,4 milhões.https://6553de7ca8e50b593691bf5a1d41e80b.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Este número representa cerca de 47% da população total do Brasil. Mas cabe ressaltar que ainda não há liberação do PNI (Programa Nacional de Imunizações) para vacinar menores de 18 anos contra a covid-19, embora algumas cidades já estejam aplicando vacinas em adolescentes com comorbidades.

Ainda conforme os números de hoje, 38 milhões completaram o esquema vacinal, seja com duas doses ou dose única, aproximadamente 17,8% da população total e 24% dos adultos acima de 18 anos.

No Mapa da Vacinação do R7, os quase 4 milhões que receberam a dose única da Janssen aparecem na mesma conta dos que já completaram a imunização.

A diferença entre primeira e segunda doses se deve principalmente ao intervalo de 12 semanas adotado para as vacinas da AstraZeneca e Pfizer.

Como estes dois imunizantes começaram a ser usados em grandes grupos da população — e em maiores volumes — a partir de maio e junho, essas pessoas só vão concluir o esquema vacinal a partir de agosto e setembro.

Com o avanço da variante Delta e a previsão de um número mais significativo de vacinas nos próximos meses, o governo irá reduzir de 12 semanas para 21 dias o intervalo entre as doses da Pfizer. Este é o período estipulado em bula.PUBLICIDADE

A medida acelera a conclusão do esquema vacinal deste grupo. Ainda não há consenso em relação à vacina da AstraZeneca, já que a bula prevê a segunda dose entre 8 e 12 semanas, sendo que o período mais longo fornece uma resposta imunológica melhor em relação ao mais curto.

Ontem, a secretária extraordinária de enfrentamento à covid-19, Rosana Leite, afirmou que o governo deve receber 63 milhões de novas doses de imunizantes no mês de agosto. 

Ela salientou que todos os grupos prioritários já estão cobertos. Mas conforme a vacinação avança por faixa etária, são necessárias mais doses por se tratar de populações em maior número. 

VEJA TAMBÉM

Redução de internações e mortes

Embora o percentual total da população completamente imunizada ainda seja baixo quando comparado a países que começaram a vacinação antes, o Brasil já sente os efeitos positivos da campanha.

As mortes por covid-19 caem há cinco semanas seguidas, no menor patamar desde meados de fevereiro. O Ministério da Saúde registrou queda de 40% do número de novos casos e óbitos nos últimos 30 dias, na comparação com o período anterior. 

Os boletins recentes do Observatório Covid-19 da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) também mostram uma tendência de queda das ocupações de leitos de UTI, um indicativo de que as vacinas, mesmo que com esquema ainda incompleto, já podem estar prevenindo o agravamento da doença ainda que haja o contágio.

Recomendado para vocêDesinPros oferta especial. Grátis pote extra em qualquer kitDesinPros – Saúde da Próstata|PatrocinadoMAIS POPULARESBolsonaro: ‘Fui obrigado a vetar’ projeto a favor de vítimas do câncerR7Varizes tem solução: Anvisa libera fórmula com 50% de desconto e frete grátis. Compre agora!VariOff|PatrocinadoImpulsione seu negócio com QuickBooks.QuickBooks Intuit|PatrocinadoEstudo revela que vacina da Pfizer produz dez vezes mais anticorpos do que a CoronaVacR7https://googleads.g.doubleclick.net/pagead/render_post_image_v1.htmlUNINASSAU DigitalUNINASSAU Digital|PatrocinadoCoronaVac produz 10 vezes menos anticorpos que vacina da PfizerR7Transmissão da variante Delta é maior inclusive em vacinadosR7Taxa a partir de 0,78% ao mês!Mercedes-Benz Vans|PatrocinadoAproveite as condições.Mercedes-Benz do Brasil|PatrocinadoVocê tem dores nas costas? Cientistas encontram uma solução que realmente funciona. Faça isso!drpostura.com|PatrocinadoAproveite as condições imperdíveis.Mercedes-Benz Ônibus|Patrocinado

MAIS LIDAS

  1. BRASILBolsonaro: ‘Fui obrigado a vetar’ projeto a favor de vítimas do câncer
  2. ECONOMIARayssa Leal tenta anular registros da marca ‘Fadinha do Skate’
  3. FAMOSOS E TVSimone Mendes defende amigo de Safadão após vídeo polêmico
  4. MINAS GERAISPolícia indicia mãe que matou bebê de 1 ano com 60 facadas em MG
  5. COSME RÍMOLIGlobo adia clássico. Para estreia de Renato Augusto e Giuliano
  6. BRASILGoverno manda Fundação Roberto Marinho devolver R$ 54 milhões
  7. REFLETINDO SOBRE A NOTÍCIA POR ANA CAROLINA CURYProfessor orienta alunos a não contarem aos pais sobre aula polêmica
R7 CUPONS

Últimas

VEJA MAIS NOTÍCIASVOLTAR AO TOPO

SAÚDETodos os direitos reservados – 2009-2021 – Rádio e Televisão Record S.A

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com o Aviso de Privacidade.FECHAR

Campanha Vacina Solidária chega a mais de 15 toneladas de alimentos arrecadados

Campanha Vacina Solidária chega a mais de 15 toneladas de alimentos arrecadados

Campanha Vacina Solidária chega a mais de 15 toneladas de alimentos arrecadados

Semtas

Lançada no dia 5 de abril, a  campanha “Vacinação Solidária” já arrecadou mais de 15 toneladas de alimentos não perecíveis em Natal. A campanha desenvolvida pela Prefeitura, tem por objetivo reforçar o acolhimento às famílias em vulnerabilidade que residem no município. Em três meses, já foram arrecadados 15.000 quilos de alimentos pela Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência Social em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde. Os pontos de coleta funcionam nos locais de vacinação contra a Covid-19. 


A ‘Vacinação Solidária’ é mais uma forma que a gestão encontrou para auxiliar a população neste momento de pandemia. A iniciativa aproveita a necessidade de deslocamento da população até um ponto de imunização contra a Covid-19 em benefício de todos. “Os locais são identificados e contam com o trabalho de voluntários na confecção destes desses kits de alimentos não perecíveis. Além disso, nos drives instalados em Natal, onde a vacina é aplicada com o munícipe dentro do carro, não há a necessidade de descer do veículo para fazer a doação”, detalhou o prefeito Álvaro Dias.


“Estamos chegando ao quarto mês de ação e muito felizes com o apoio de toda a cidade. No entanto, é preciso reforçar a necessidade da consistência das doações. Há muitas pessoas que, neste momento, enfrentam dificuldades e precisam da nossa ajuda. Não importa a quantidade, toda colaboração é bem-vinda e, certamente, fará a diferença na mesa destas famílias”, destacou o secretário da Semtas, Adjuto Dias.

 
A campanha pede que as pessoas que forem se vacinar contribuam com doação de um quilo de alimento não perecível. Esses alimentos serão organizados em cestas básicas e distribuídos para a população vulnerável do município. A arrecadação está sendo feita nos postos de vacinação contra a Covid-19, coordenados pela Prefeitura de Natal. Os drivers funcionam no Via Direta, no Sesi da Avenida Capitão-mor Gouveia, no Palácio dos Esportes e no Ginásio Nélio Dias, além das 35 Unidades Básicas de Saúde. 
 
 

Cadastro único


Essas doações estão sendo distribuídas pela Semtas através do Cadastro Único, que garantirá que as pessoas a serem beneficiadas sejam as que preenchem todos os requisitos de política de assistência social. “São aquelas que realmente necessitam. Contamos com todos e vamos juntos enfrentar esse momento de dificuldade”, completou o secretário, fazendo um apelo à população. Importante ressaltar que a coleta dos alimentos ocorrerá enquanto durar a vacinação da população de Natal.

Fecomércio: Marcelo Queiroz participa de reunião de Diretoria da CNC

O presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, participou nesta segunda-feira (26), da reunião de Diretoria da CNC. O evento ocorreu em formato híbrido, retomando as atividades presenciais da entidade.

Comandado pelo presidente da CNC, José Roberto Tadros, o encontro teve como pauta o Conexão CNC-Sesc-Senac, deliberações do projeto Vai Turismo – Rumo ao Futuro nos estados, e informações sobre o Fórum dos Superintendentes das Fecomércios, que vão apresentar temas importantes para o Sistema Comércio.

Além disso, foi informado que a CNC assumiu o Conselho Representativo do Mercosul pela segunda vez.

A próxima reunião de diretoria da CNC acontece em agosto.

Lei de Ezequiel torna RN o primeiro Estado do país a regulamentar a atividade Off-Road

O presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PSDB), recebeu nesta segunda-feira (26), na Assembleia Legislativa, os representantes da Associação Potiguar de Off-Road (APO). Na pauta, a Lei estadual 131/2021, que regulamenta a atividade esportiva e de lazer da atividade no Rio Grande do Norte. O Estado é o primeiro do Brasil a tornar legal a prática.

“Essa é a primeira lei do Brasil. Já fomos procurados por deputados da Paraíba, Ceará e Pernambuco para que ela seja replicada nesses Estados. Ela permite que o cidadão potiguar, que tradicionalmente gosta de utilizar as trilhas do seu Estado, de forma regular e dentro da lei”, disse Ezequiel Ferreira.

A lei estadual nº 131/2021 é de autoria do presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Ezequiel Ferreira e reconhece a atividade de Off-Road como um esporte de aventura e radical de grande importância na cultura e no turismo potiguar. O projeto de lei foi sancionado pela governadora Fátima Bezerra (PT) e publicado pelo Diário Oficial na quinta-feira (22).

“Esse é um marco histórico do Brasil. O RN sai na frente de vários Estados do Nordeste com a aprovação dessa Lei que representa um novo momento do Off-Road. É importante ressaltar o ganho que isso representa para o fomento da economia do nosso RN, principalmente nesse momento de retomada”, celebrou o presidente da APO, Juscelino Martins Grilo.

“A regulamentação dessa atividade traz dignidade para os seus praticantes e para as comunidades por onde as atividades passam, movimentando a economia e fortalecendo os pequenos comércios”, comentou o representante jurídico da APO,  Marcílio Mesquita de Góes.

A lei deverá ser aplicada em conjunto e consonância ao código de trânsito brasileiro, com as resoluções do CONTRAN e no que couber as normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), relativas ao turismo fora de estrada em veículos.

“Como praticante do Off-Road eu gostaria de agradecer o esforço do presidente Ezequiel Ferreira e a dedicação para que esse projeto fosse aprovado e mudasse o cenário que antes vivíamos”, destacou Samanta Alves, praticante do Off-Road. Na oportunidade os representantes da APO entregaram uma placa de agradecimento ao presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira.

País supera 1 bilhão de tratamentos médicos parados com pandemia

Demanda reprimida de procedimentos ambulatoriais e hospitalares que deixaram de ser realizados no SUS acumula desde 2020

Movimento na sala de vacinação na UBS Vila Barbosa, zona norte de São Paulo
Divulgação

número de procedimentos médicos não realizados já supera 1 bilhão desde o início da pandemia de coronavírus no país, em março do ano passado, na rede pública de saúde do SUS. A estimativa é do Conasems (Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde).

Levantamento realizado em 2020 mostrou que até o fim de 2020 a demanda reprimida era de 1,1 bilhão de tratamentos ambulatoriais e hospitalares que deixaram de ser realizados por causa da prioridade dos casos de covid-19. Só na oncologia houve uma redução de 60%. 

“Estimamos que os procedimentos não realizados devam chegar a 1,6 bilhão neste ano, já que o cenário da covid-19 se agravou nos primeiros meses de 2021″, afirmou Mauro Junqueira, secretário-executivo do Conasems. As cirurgias eletivas, aquelas que não são de urgência, estão suspensas, porque os medicamentes como relaxantes musculares, anestésicos e bloqueadores são prioritários para uso dos pacientes de covid-19 internados nas UTIs.

Junqueira explica que a partir do momento que houver uma maior diminuição de casos de internação por covid-19, as atividades serão retomadas na rede de saúde. Segundo ele, a taxa de ocupação nas UTIs ainda é preocupante, na casa de 80%.

“Quando for diminuindo a internação e o número de pacientes entubados, obviamente a gente vai ter aí uma quantidade de medicamentos disponíveis que poderão ser utilizados nas cirurgias eletivas. Então a retomada será gradual dos atendimentos ambulatoriais e hospitalares”, diz Junqueira.

Com isso, vão voltar os tratamentos de prevenção, como exames de mamografias e de rotina. A diariarista Neildes dos Santos Campo, de 59 anos, está preocupada com o retorno das atividades no SUS. Ela conseguiu fazer a mamografia de rotina em janeiro, no Hospital das Clínicas, em São Paulo. Mas a consulta para avaliar o exame foi marcada só para dezembro. “Se tiver alguma coisa grave, estou perdida, porque o médico só vai ver o exame 11 meses depois de ter sido feito”, afirma.

Retomada  

A previsão de retomada total, porém, é para o início do ano que vem. Há regiões que isso já está acontecendo, com porcentual  de 10% a 30% da capacidade, mas de acordo com o cenário epidemiológico local.

“O atendimento pleno só acontecerá na hora que a gente tiver uma redução muito mais forte do que tem hoje. E isso deve acontecer nos próximos meses, até porque a gente está prevendo um avanço muito grande da vacina, o que vai impactar as taxas de contágio e de internação. Mas uma retomada de 100% deve acontecer só no início do ano que vem, quando tiver toda a população coberta pela vacina”, avalia Junqueira. 

Desafio

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ja afirmou que, a partir de um cenário epidemiológico mais favorável para o Brasil, a pasta já projeta outras ações de enfrentamento a problemas sanitários, como por exemplo as síndromes pós-covid, o enfrentamento a doenças prevalentes, como as cardiovasculares e de pacientes que necessitam de tratamento cirúrgico que estão represados.

“Temos um desafio muito grande pela frente, mas estamos confiantes em enfrentar todas essas dificuldades e ter um cenário sanitário mais tranquilo para que os brasileiros voltem a sorrir novamente”, disse o ministro em entrevista realizada neste mês.

Mutirões

Para o médico sanitarista Walter Cintra Ferreira Junior, professor do FGVSaúde (Centro de Estudos em Planejamento e Gestão em Saúde), o SUS terá que lidar com pacientes que apresentaram piora de seus quadros clínicos durante o período da pandemia, além daqueles que já tinham dificuldades para realizar procedimentos especializados, consultas especializadas, cirurgias de média e alta complexidade.

“A demora para realizar tanto procedimentos diagnósticos como terapêuticos, embora não sejam situação de urgência ou emergência, pode levar a uma piora da doença do paciente e do prognóstico”, alerta Cintra.

“Você tem as pessoas com doenças crônicas que tiveram o acompanhamento prejudicado, como hipertensos, diabéticos, mas que de alguma maneira conseguiram fazer tratamento usando o teleatendimento. De qualquer maneira, isso pode ter gerado um pior acompanhamento desses pacientes e uma eventual piora de seus quadros clínicos”, avalia.

Cintra lembra que o sistema já apresenta um importante estrangulamento em procedimentos especializados de média e alta complexidade e, com a pandemia, isso certamente piorou. Ele acredita que será necessário uma força-tarefa no sistema de saúde para identificar os pacientes, fazer triagem, repriorização de casos e criar condições para eventualmente realizar mutirões, além de mobilizar recursos.

Rede privada

Com a queda de procedimentos eletivos, pela primeira vez a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) aprovou neste mês um reajuste negativo, de -8,19%, para os planos de saúde individuais. Segundo mapa assistencial, na cardiologia, os números mostram que as consultas caíram 23,4% e os exames holter 24h tiveram redução de 19,5%. Na oncologia, exames de detecção precoce de câncer também caíram. As mamografias, por exemplo, tiveram uma redução de 29,1%.

“Se isso está acontecendo no sitema privado, imagina o impacto na rede pública. Vamos precisar garantir mais dinheiro para SUS, que é fundamental para o bem-estar do país. Se a gente não lutar para que isso seja adequadamente financiado para enfrentar essa situação, será uma barbárie”, afirma Cintra.

Fonte: R7

Fecomércio: Pequenos empresários seguem com dificuldades de acesso ao crédito

A burocracia e as altas exigências dos bancos ainda são apontadas pelos micros e pequenos empresários como entraves significativas para acesso ao crédito nas instituições financeiras. 32% dos donos de pequenos negócios que buscaram empréstimos nos bancos do país, em maio deste ano, não tiveram respostas positivas.

O dado, levantado pelo Sebrae e FGV, é menor em comparação à quantidade de empresários frustrados com as exigências bancárias em abril, quando as imposições foram condenadas por quase 50% dos empreendedores que buscaram empréstimos.

“Temos constatado de um ano para cá que os empresários ainda consideram os bancos muito exigentes para emprestar dinheiro e, por isso, é tão importante o desenvolvimento de políticas públicas que facilitem o uso de garantias”, alerta Carlos Melles, presidente do Sebrae.

Créditos

No início de julho, os bancos passaram a conceder novos créditos aos pequenos empresários por meio do Pronampe. Cerca de 5 milhões de pequenos negócios terão acesso a créditos que, de acordo com a expectativa do governo federal, podem ultrapassar mais de R$ 25 bilhões até o fim de 2021.

Os juros dos contratos não poderão passar de 6% ao ano, mais a taxa Selic, que é de 4,25% atualmente. O prazo de carência, ou seja, de quando a empresa começará a pagar o empréstimo, subiu de oito para 11 meses e o financiamento pode ser parcelado em até 48 meses.

Confiança

O aumento de linhas de crédito é importante para elevar a confiança do MPE para o crescimento dos negócios nos próximos meses e a boa expectativa já é percebida. Em maio, o índice que mede a confiança dos pequenos empresários, o IC-MPE, nos setores de Serviços, Comércio e Indústria, subiu 5,4 pontos e ultrapassou 93,5 pontos, o melhor resultado desde 2020.

De acordo com análise da Sondagem Econômica da MPE, realizada pelo Sebrae, o aumento do ritmo da vacinação contra a Covid-19, a extensão do auxílio emergencial e a MP do BEm contribuem para a recuperação dos setores econômicos. Além disso, a expectativa de crescimento do PIB brasileiro, estimada entre 4% e 5%, também está sendo capaz de melhorar o ‘humor’ dos empresários.

“A indústria está se recuperando. Ela teve um ano difícil em 2020 e agora ela vem se recuperando. E isso tem a ver com o crédito? Sim, mas não só isso. Você tem a própria melhora do cenário da pandemia, do cenário sanitário, que induz a esse crescimento. Isso tudo tem contribuído para que a indústria possa apresentar melhor desempenho nesse restante de ano”, acredita Benito Salomão, especialista em Economia e doutorando da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

USP Unesp e Unicamp iniciarão semestre com aulas remotas

Instituições justificam que apesar de melhora, momento é de cautela

Divulgação

Mesmo com a liberação do governo paulista para o retorno das aulas presencias no ensino superior a partir da próxima semana, as três grandes universidades públicas estaduais de São Paulo decidiram iniciar o segundo semestre deste ano ainda com aulas remotas.

Apesar da atual melhora no cenário da pandemia do novo coronavírus, os indicadores de óbitos, internações e casos de covid-19 ainda são muito elevados. Por isso, as universidades decidiram se manter cautelosas e continuar com o ensino online, pelo menos por enquanto. Essa determinação será alterada, segundo as universidades, de acordo com a evolução da pandemia.

Ensino remoto

Na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), as aulas remotas teóricas vão permanecer em funcionamento até uma nova avaliação. Uma resolução prevê a volta presencial às aulas, mas de forma parcial e gradual. Neste caso, docentes, técnicos administrativos e alunos de graduação do ensino superior e pós-graduandos só deverão retornar às atividades presenciais 14 dias após o recebimento da segunda dose da vacina contra a covid-19. O percentual máximo permitido de alunos vai obedecer o que for estabelecido no Plano São Paulo, plano de retomada econômica elaborado pelo governo paulista no ano passado e que orienta sobre a abertura e fechamento de todas as atividades no estado paulista. Já as gestantes, por orientação desta resolução, devem permanecer em atividade remota.

Na Universidade Estadual Paulista (Unesp), um comunicado do dia 13 de julho informa sobre a continuidade do ensino remoto. “Acreditamos ser importante enfatizar que a retomada das atividades presenciais estará associada a fatores tais como a vacinação de nossa comunidade, situação epidemiológica da pandemia e condições de biossegurança de nossas unidades”, informa o comunicado. Essa situação vai permanecer até que seja feita uma nova avaliação do cenário epidemiológico.

Na Universidade de São Paulo (USP), as aulas teóricas da graduação e pós-graduação também serão iniciadas com o ensino remoto. Essa situação permanecerá até que seja reavaliada a situação da pandemia, segundo informou um comunicado publicado no dia 7 de julho. Na USP, os servidores docentes e técnico-administrativos que já foram imunizados poderão retornar às atividades presenciais 14 dias após terem recebido a segunda dose ou a dose única.

Suspensão das aulas

As aulas presenciais nas universidades paulistas estão suspensas desde março do ano passado. Somente no curso de medicina elas estavam autorizadas a ocorrer presencialmente. Em junho deste ano, o governo paulista permitiu também que os cursos de saúde pública, saúde coletiva e de medicina veterinária voltassem de forma totalmente presencial.

No início deste mês de julho, o governo de São Paulo informou que as aulas nas escolas de ensino técnico e superior poderiam ser retomadas no estado a partir do dia 2 de agosto. No caso das instituições de ensino superior e nas faculdades de nível técnico (como as Fatecs), o limite de capacidade permitido é de até 60% do total de alunos. No caso das instituições de ensino técnico de nível médio, como as Etecs, não haverá limite de ocupação. Além disso, o governo permitiu que as atividades práticas, laboratoriais e estágios de cursos superiores em todas as áreas ocorram presencialmente, sem limite de ocupação

fonte: agência Brasil

Natal suspende primeira dose da vacina contra Covid-19

Natal suspende primeira dose da vacina contra Covid-19

Natal suspende primeira dose da vacina contra Covid-19

Foto: Alex Regis / Texto: Assessoria SMS

A Prefeitura do Natal informa que está suspensa a aplicação da primeira dose dos imunizantes contra a Covid 19 em virtude de todas as doses disponíveis terem sido aplicadas.

A Prefeitura aguarda o envio pelo Ministério da Saúde de nova remessa de vacinas para retomar a aplicação da D1.  Nesta terça-feira (27), a SMS Natal estará vacinando apenas com a segunda dose. No site vacina.natal.rn.gov.br constam todas as informações oficiais sobre os grupos em vacinação, locais de aplicação, filas nos drives, documentação e dúvidas frequentes.

Segunda Dose:
 
Oxford

Os drives SESI, Nélio Dias, Palácio dos Esportes Via Direta e as 35 UBS estarão com aplicação da D2 da Oxford para quem se vacinou até o dia 04 de maio.
 
Coronavac

Quem completou 28 dias da primeira dose deve se dirigir ao drive do Palácio dos Esportes ou Nélio Dias, que também dispõem de sala para pedestres.


Pfizer

Natal ainda não recebeu o lote destinado à segunda dose da Pfizer, assim que receber divulgará como será a vacinação.