Cai ocupação de leitos mesmo com retomada gradual da economia em Natal

Joelma lima

A capital potiguar segue com queda no número de novos casos, óbitos, ocupação de leitos e, também, da taxa de reprodução que é usada para saber como está o índice de transmissão da Covid-19. Em julho, houve um decréscimo de 48% nas mortes por coronavírus em relação a junho e a taxa de transmissibilidade que há um mês mantém-se em média em menos de 1, registra, neste início de semana, a 0,94 (no portal do coronavírus desenvolvido e alimentado pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde – LAIS –  da Universidade Federal do Rio Grande do Norte), alcançando um dos melhores índices do Rio Grande do Norte e considerado positivo, visto que segundo recomendações da Organização Mundial de Saúde a retomada de determinadas atividades comerciais deve acontecer com a taxa abaixo de 1.

“É um trabalho hercúleo. Não estamos medindo esforços para que Natal possa vencer esse período de crise sanitária. Ficamos felizes ao observar a curva decrescente no último mês no número de casos, óbitos e ocupação de leitos, após a retomada gradual das atividades econômicas em vários setores, que destaco: está acontecendo de forma responsável com critérios, fiscalização e muita colaboração de grande parte da população”, destaca o prefeito de Natal, Álvaro Dias.

O chefe do executivo municipal, no entanto, enfatiza: “Mesmo assim, não podemos relaxar. E não estamos. Na verdade, estamos ampliando a rede municipal com oferta de mais serviços com a abertura de novos Centros de Enfrentamento a Covid, entre várias outras ações que já estavam sendo realizadas. E seguimos mais contundentes com as fiscalizações e orientações para que as pessoas só saiam em caso de necessidade, mantendo os hábitos de higiene, uso de máscara e álcool em gel. Seremos intransigentes quanto ao cumprimento das normas para que os números melhorem ainda mais e não precisemos retroceder”, observou. 

Desde o início de julho, com a retomada gradual de atividades, a taxa de isolamento social da população vem se mantendo com uma média de 41%, sem demonstrar impacto na situação da pandemia em Natal. Pelo contrário. Em julho, quebra-se a linha crescente da doença (abril, maio e junho) e, pela primeira vez, os números caíram. Foram notificados 196 óbitos na capital, uma queda de 48% em relação a junho.

Já o Boletim de taxa de ocupação de leitos da Rede de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS-Natal) desta segunda-feira (03), mostra uma ocupação média de 28% dos leitos destinados aos pacientes com a Covid-19 na capital do Estado.  Outro ponto a destacar na capital é que, de acordo com os dados do último boletim epidemiológico, 15.841 pessoas, estão recuperadas, ou seja, 79,4% dos casos confirmados com Covid-19; 15,9% estão em isolamento domiciliar; 1% estão hospitalizadas; e 3,7% faleceram.

Para a Secretaria Municipal de Saúde, esses números refletem o forte trabalho desenvolvido pela gestão no enfrentamento à pandemia com a ampliação dos leitos, implementação do Hospital Municipal de Campanha, instalação dos Centros de Enfrentamento a Covid nas zonas Norte e Oeste, extensão dos horários de funcionamento de 10 Unidades de Saúde, ações de testagem em massa da população, adoção do Protocolo de Atendimento para Síndromes Gripais e dispensação de medicamentos com prescrição do médico, além da intensificação das ações de fiscalização executada pela força tarefa dos órgãos municipais, com apoio das forças de segurança do Estado.