Caern faz 51 anos mais alinhada ainda ao seu compromisso social

ASSECOM

Neste dia 2 de setembro, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) completa 51 anos de fundação. A empresa comemora a nova idade com ótimos resultados na luta para superar os desafios enfrentados ao longo de sua história a fim de promover saúde e desenvolvimento para o povo potiguar. E em meio ao cenário da pandemia mundial da Covid-19, que afetou todas as áreas da economia no Brasil, assim como em outros países, elegeu os investimentos em inovação para garantir a segurança e a regularidade na prestação de serviços.

Em março último, a Caern teve que suspender os atendimentos presenciais ao público, além de ter adotado protocolos de segurança entre os colaboradores para continuar funcionando, visto que a empresa presta um serviço essencial. Como forma de assegurar o atendimento das demandas dos consumidores, investiu em tecnologia e ampliou seus canais virtuais de relacionamento com o cliente. Hoje, o cliente tem à sua disposição o teleatendimento, pelo número 115, a Agência Virtual, no site da Caern, o aplicativo Caern Mobile, além do atendimento via Whatsapp, implantando no mês passado.

Qualquer serviço da companhia pode ser demandado pelos canais virtuais. O atendimento presencial foi retomado em julho, mas, ainda com o cenário de cautela recomendado pelas autoridades de saúde, eles são feitos mediante agendamento pelos canais on-line. As novas ferramentas e funcionalidades de canais digitais têm se mostrado seguras, confiáveis e práticas e foram muito bem aceitas pela população.

COBERTURA

A Caern chega aos 51 anos em um cenário de grande debate sobre o futuro do saneamento no Brasil. Com o Novo Marco Legal do Saneamento, que virou lei este ano, a Companhia ajustou seus planos para continuar crescendo focada na sua missão de promover a universalização dos serviços para os potiguares. O objetivo dessa universalização, de acordo com a lei, é para 2033 – sendo a meta de 90% para esgotamento sanitário e 99% para distribuição de água. No planejamento da Caern, Natal e Mossoró ficarão com a cobertura de esgotos próximo da universalização em média dez anos antes do que determina o Marco. Também tem atuado em outras cidades em obras de esgotamento.

Na capital, que já tem atendimento de 99% na distribuição de água, a cobertura de esgotamento sanitário chegará a quase 100% ao final das obras que estão sendo executadas. Natal será uma das primeiras capitais brasileiras a atingir esse índice. 

Além da implantação da rede coletora, estão sendo construídas duas modernas estações de tratamento de esgoto. Uma delas é a ETE Jundiaí-Guarapes, na Zona Oeste da cidade; a outra é a ETE Jaguaribe, localizada na Zona Norte. Atualmente, Natal conta com apenas uma estação de tratamento de nível terciário, a ETE do Baldo.

A ETE Guarapes, orçada em R$ 105 milhões, é dividida em cinco módulos, cada um com capacidade para tratar 210 l/s, com um total de 1.050 litros de esgotos por segundo. Quando a ETE estiver pronta, aproximadamente 45% população de Natal será beneficiada pelo sistema, o equivalente a 400 mil moradores das zonas Sul e Oeste de Natal e de parte de Parnamirim, totalizando 537 mil habitantes beneficiados. A área da ETE tem 70 mil metros quadrados.

QUASE PRONTA

A ETE Jaguaribe, que vai atender a Zona Norte, já com as obras muito adiantadas. A obra física da estação já está 85% concluída. Em julho, começaram a ser instalados os equipamentos. Orçada em R$ 115 milhões, a ETE Jaguaribe terá capacidade de tratar 840 litros de esgoto por segundo, e poderá atender uma população de 400 mil pessoas, com seus cinco módulos, por 20 anos. Além desses recursos, o Governo do Estado, via Caern, investe R$ 60 milhões.
A rede coletora de esgoto na região já está com 80% do previsto instalada nos bairros da Zona Norte. 

Ao final das obras, Natal contará com quatro Estações de Tratamento de Esgotos, possibilitando a cobertura total de Natal (ETE Guarapes, ETE Jaguaribe, ETE do Baldo e ETE da Redinha).

LUCRO

Além dos investimentos que resultam em benefícios para a população, a Caern também apresenta dados positivos quanto à sua situação financeira. Este ano, pela primeira vez, o balanço da Companhia trouxe a previsão de distribuição de dividendos para o controlador, o Governo do Estado. O ano de 2019 deu lucro de quase R$ 35 milhões, situação bem diferente do ano anterior, quando teve prejuízo de R$ 10 milhões. 
Para o diretor-presidente da Caern, Roberto Sérgio Linhares, o resultado mostra o acerto na gestão da empresa. “Em 2020, nós vamos rumar para um lucro financeiro e contábil mesmo com a pandemia”, acentuou.

FUTURO

A Caern conta hoje com aproximadamente 2.500 colaboradores, distribuídos em todo o Estado. E tem seu foco direcionado ao compromisso social com a população potiguar.
“A inovação tecnológica aliada aos mecanismos de compliance estão norteando essa nova fase da Caern. A empresa tem mostrado a solidez e expertise de seu meio século, mas já está preparada para os novos desafios e, principalmente, para atender cada vez melhor a população do Rio Grande do Norte. Assim, caminhamos dia a dia para ter uma empresa mais eficiente e sustentável, tanto ambiental, quanto financeiramente”, afirma Roberto Linhares.