Bolsonaro diz ter falado para Merkel que Brasil é alvo de ‘psicose ambientalista’

G1

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (28), na cidade japonesa de Osaka, onde participou de reunião do G20, que em conversa com a chanceler alemã, Angela Merkel, falou para ela que o Brasil é alvo de uma “psicose ambientalista”.

Às vésperas do encontro do G20, Merkel afirmou no parlamento alemão que via com “grande preocupação” as ações do governo brasileiro a respeito do desmatamento e que queria ter uma “conversa clara” com Bolsonaro.

“Conversei com ela, foi uma conversa tranquila. Em alguns momentos, ela arregalava os olhos, de maneira bastante cordial. Mostramos que o Brasil mudou o governo, e é um país que vai ser respeitado. Falei para ela também da questão da psicose ambientalista que existe para conosco”, disse Bolsonaro em uma entrevista à imprensa.

Antes, ao desembarcar no Japão, na quinta-feira (27), ele já havia afirmado que a Alemanha tinha muito a aprender com o Brasil na preservação ambiental.

Outro chefe de Estado que, também antes do G20, manifestou preocupação com o compromisso de preservação ambiental do Brasil foi o presidente francês, Emmanuel Macron.

Bolsonaro disse que teve com ele uma conversa parecida com a que teve com Merkel.

“Eu convidei [Macron] para conhecer a região amazônica. Falei para ele [de fazermos] uma viagem de Boa Vista a Manaus. É pouco mais de duas horas. A gente poderia até voar a uma altura mais baixa, demoraria mais tempo, em um avião da Força Aérea, para ele ver que não existe o desmatamento tão propalado”, afirmou Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (28), na cidade japonesa de Osaka, onde participou de reunião do G20, que em conversa com a chanceler alemã, Angela Merkel, falou para ela que o Brasil é alvo de uma “psicose ambientalista”.

Às vésperas do encontro do G20, Merkel afirmou no parlamento alemão que via com “grande preocupação” as ações do governo brasileiro a respeito do desmatamento e que queria ter uma “conversa clara” com Bolsonaro.

“Conversei com ela, foi uma conversa tranquila. Em alguns momentos, ela arregalava os olhos, de maneira bastante cordial. Mostramos que o Brasil mudou o governo, e é um país que vai ser respeitado. Falei para ela também da questão da psicose ambientalista que existe para conosco”, disse Bolsonaro em uma entrevista à imprensa.

Antes, ao desembarcar no Japão, na quinta-feira (27), ele já havia afirmado que a Alemanha tinha muito a aprender com o Brasil na preservação ambiental.

Outro chefe de Estado que, também antes do G20, manifestou preocupação com o compromisso de preservação ambiental do Brasil foi o presidente francês, Emmanuel Macron.

Bolsonaro disse que teve com ele uma conversa parecida com a que teve com Merkel.

“Eu convidei [Macron] para conhecer a região amazônica. Falei para ele [de fazermos] uma viagem de Boa Vista a Manaus. É pouco mais de duas horas. A gente poderia até voar a uma altura mais baixa, demoraria mais tempo, em um avião da Força Aérea, para ele ver que não existe o desmatamento tão propalado”, afirmou Bolsonaro.