Grupo Estação de Teatro leva contação de histórias infantis a escolas públicas

Com o objetivo de difundir e incentivar a prática de contar histórias, o Grupo Estação de Teatro está realizando um projeto em escolas públicas da área metropolitana de Natal até o dia 29 de maio. “Contando a gente se encontra” é viabilizado pelo edital Transformando Energia em Cultura da Neoenergia/Cosern e pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura Câmara Cascudo, e percorre diversas cidades da região, incluindo Vera Cruz, São Gonçalo do Amarante, Parnamirim, Nísia Floresta, Ceará-Mirim, São José de Mipibu, Macaíba e Monte Alegre. Idealizado pelas atrizes Nara Kelly e Manu Azevedo, o projeto, que está em sua segunda edição, visa não apenas a contação de histórias, mas também a transmissão de conhecimento, vivências e valores, contribuindo assim para o processo de ensino-aprendizagem.

O projeto inclui oito apresentações de contação de histórias infantis, bem como uma oficina voltada para professores, mediadores de leitura e interessados na arte da contação de histórias, intitulada “Contando a gente se encontra”. As apresentações dos espetáculos “1,2,3… conto outra vez” e “Histórias de uma viajante” proporcionam momentos de imaginação, música e diversão, abordando temas relevantes para as crianças, como amizade, cooperação, coragem e memória afetiva, enquanto fortalecem o vínculo das crianças com o universo literário.

Além das apresentações, são realizadas oficinas em cada uma das cidades participantes, com o objetivo de aprimorar atividades pedagógicas por meio de elementos corporais e vocais, de forma prática e lúdica. Os interessados em participar dessas oficinas devem procurar as Secretarias de Educação dos municípios participantes do projeto. “Contando a gente se encontra” é uma iniciativa do Grupo Estação de Teatro, produzido pela TAYÓ Produções, e patrocinado pela Neoenergia/Cosern e LCC.

Sobre o Grupo Estação de Teatro

O Grupo Estação está comemorando em 2014, quinze anos de atuação em Natal – RN e é referência no cenário teatral e da contação de histórias potiguar. Seus espetáculos já circularam por diversos estados brasileiros com reconhecimento de público, crítica e credibilidade junto às empresas, festivais e editais importantes como o Natal em Cena, Programa Petrobras Cultural, Edital Transformando Energia em Cultura Cosern/Instituto Neoenergia, SESC Palco Giratório, Arte da Palavra SESC, dentre outros

SERVIÇO
“Contando a gente se encontra” do Grupo Estação
Data: de 20 a 29 de maio
Locais: Vera Cruz, São Gonçalo do Amarante, Parnamirim, Nísia Floresta, Ceará-Mirim, São José do Mipibu, Macaíba e Monte Alegre.
Informações: https://www.instagram.com/grupoestacaodeteatro
Classificação indicativa: livre
.
Programação:

20/05 – Parnamirim
Local: E M Jorn. Rubens Manoel Lemos (R. Rio Camaragibe, 215 – Emaús) e : Biblioteca Municipal Professora Elienai Dantas Cartaxo (Av. Pres. Getúlio Vargas

21/05 – São Gonçalo
Local: CEMEF Maria Antônia (R. Belchior de Oliveira Rocha

22/05 – São josé do Mipibu
Local: E M Cônego Pedro Paulino (Rua Principal S/N Povoado Mendes e Auditório SME (Av. Pres. Getúlio Vargas, 151 – Centro, Parnamirim – RN)

23/05 -Vera Cruz
Local:CMEI Teodósia Tomaz (Cobé/Vera Cruz)

24/05 – Macaíba
Local: E M Francisco Falcão Freire (R Olímpio Maciel, Lagoa de Pedras)

27/05 – Monte Alegre
Local: Creche Municipal Eugênia Rocha Alves. (R. Joaquim Gonzaga/ Centro)

28/05 – Nísia Floresta
Local: Escola Juvino Lopes da Silva (Avenida Dr. Severino Lopes da Silva, SN)

29/05 – Ceará Mirim
Local: Centro de Eventos Green Valley (R. Heráclito Vilar, 469

22ª edição da Semana Nacional de Museus começa nesta quarta em Natal

Uma reflexão sobre a atuação dos museus como impulsionadores de educação e de pesquisa. Esse é o tema proposto para a 22ª edição da Semana Nacional de Museus, promovida pela Prefeitura de Natal, por intermédio da Secretaria de Cultura de Natal e Fundação Capitania das Artes (Secult/ Funcarte). A programação tem início nesta quarta-feira (15) e se estende até domingo (19), no 6º piso do Memorial de Natal.

As visitas serão guiadas e os visitantes terão acesso à visualização de acervos, oficinas e participação em palestras. A programação conta ainda com exposições interativas por meio de acervos exibidos em televisores e QR codes, proporcionando uma experiência imersiva e educativa. O Memorial Também oferecerá uma oficina prática sobre o uso de ferramentas digitais na pesquisa em museus e acervos virtuais.

Os QR codes estarão disponívei sem pontos-chave da exposição para acesso a conteúdos adicionais, vídeos explicativos e participação em atividades interativas relacionadas ao acervo exposto, inclusive realizar uma tour 360 por museus nacionais, permitindo que explorem virtualmente os espaços e as exposições de forma imersiva, mesmo após o término do evento.

Para o secretário de Cultura de Natal, Dácio Galvão, a programação da Semana Nacional de Museus em Natal proporcionará um ambiente enriquecedor e democrático aos visitantes. “Museus estimulam a disseminação do conhecimento de forma prática e convidativa. As atividades propostas nesta edição despertarão a curiosidade em estudantes, professores e à comunidade geral”, ressaltou.

PROGRAMAÇÃO 15 DE MAIO
PALESTRAS
– Nós aprendemos em um Museu?
Margarida Dias. Às 13h.
– Educação patrimonial e preservação.
Márcia Rossana de Oliveira. Às 14h30.

EXPOSIÇÃO DE ACERVOS VIRTUAIS
Museu Histórico Nacional (MHN);
Museu Nacional de Belas Artes (MNBA).
Das 13h às 17h.

VISITA GUIADA
Visita guiada aos painéis expográficos e acervos do Memorial Natal.
Das 13h às 17h.

PROGRAMAÇÃO 16 DE MAIO
PALESTRAS
– Arqueologia, Cultura Material e Educação Patrimonial.
Roberto Iron. Às 13h30.
– A contribuição da pesquisa histórica no campo dos museus: uma breve reflexão.
Helder Viana. Às 15h30.

EXPOSIÇÃO DE ACERVOS VIRTUAIS
Museu Lasar Segall (MLS);
Museu Imperial (MI).
Das 13h às 17h.

PROGRAMAÇÃO 17 DE MAIO
PALESTRAS
– Preservação e conservação de acervos museais e documentais./ Arquivo Metropolitano da Arquidiocese de Natal – Os passos de uma caminhada.
Evanúcia Oliveira e Poliana Martins. Às 13h.
– O que é que Natal tem? Educação Patrimonial em Natal por meio das redes sociais.
Matheus Silva e Luis Eduardo. Às 15h.

EXPOSIÇÃO DE ACERVOS VIRTUAIS
Museu Câmara Cascudo;
Museu da Memória Afetiva do Natal.
Das 13h às 17h.

VISITA GUIADA
Visita guiada aos painéis expográficos e acervos do Memorial Natal.
Das 13h às 17h.

PROGRAMAÇÃO 18 DE MAIO
OFICINA
A utilização das ferramentas digitais na pesquisa em museus e acervos virtuais.
Marcelo Nascimento e Rodrigo Rodeiro.
Das 13h às 17h.

EXIBIÇÃO DE DOCUMENTÁRIOS
Documentário: Resgates;
Documentário: Museus, Arquivos: Lugares de Memória do Espaço Urbano.
Das 13h às 17h.

VISITA GUIADA
Visita guiada aos painéis expográficos e acervos do Memorial Natal.
Das 13h às 17h.

PROGRAMAÇÃO 19 DE MAIO
MEDA REDONDA
A cidade como espaço museológico: uma ação de educação patrimonial/A apropriação do museu pela prática turística. Luciano Capistrano e Almir Félix.
Às 15h30

EXPOSIÇÃO DE ACERVOS VIRTUAIS
Museu Villa-Lobos;
Museu da República.
Das 13h às 17h.

VISITA GUIADA
Visita guiada aos painéis expográficos e acervos do Memorial Natal.
Das 13h às 17h.

Prefeitura do Natal

Coletivo CIDA (RN) celebra o Dia Internacional da Dança com apresentações gratuita

Depois do sucesso no Mercado das Indústrias Culturais do Sul (MICSUR 2024), realizado em Santiago (Chile), o Coletivo CIDA (RN) retorna ao Brasil para celebrar o Dia Internacional da Dança com apresentações gratuitas nos dias 28 e 29 de abril no Teatro Alberto Maranhão. Serão apresentadas, pela primeira vez, as três peças da Trilogia em Dança-Tragédia.

A trilogia é assinada pelo coreógrafo René Loui, com a interlocução coreográfica e dramatúrgica de Jussara Belchior (SC), renomada pesquisadora da dança. O trabalho teve seu início concebido em 2019 e desde então já percorreu cidades como Natal, Recife, Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e também foi apresentado na França. O elenco é formado por nomes que são referências para as artes cênicas norte-rio-grandense: Ana Cláudia Viana, Jânia Santos, Marconi Araujo, Pablo Vieira, René Loui e Rozeane Oliveira.

A primeira obra da trilogia, “Corpos Turvos” é uma chamada à consciência sobre a visibilidade e valorização de todos os corpos, principalmente aqueles frequentemente marginalizados. Em “Reino dos Bichos e dos Animais, Esse é o Meu Nome”, aborda-se a arte como um espaço de liberdade e questionamento, inspirados pelas poesias de Stella do Patrocínio. E para fechar, “Insanos e Beija-Flores a Dois Metros do Chão” traz a reflexão sobre os limítrofes entre arte e insanidade na sociedade.

Para o produtor do CIDA, Arthur Moura, há muito entusiasmo nessa primeira apresentação completa da trilogia em Natal: “Estamos extremamente empolgados e ansiosos pela primeira apresentação completa de nossa Trilogia em Dança-Tragédia aqui em Natal.”

“Cada uma dessas peças é muito especial para nós, problematizando por meio da dança temas que vão desde a sobrevivência e empatia até os limites entre a insanidade e a arte. Para nós, essas apresentações são uma oportunidade de dialogar intensamente com o público e proporcionar uma experiência artística completa e coesa. É também uma chance de demonstrar a potência da dança como meio de expressão e crítica social, algo que sempre buscamos em nossos trabalhos”, completa Arthur.

Todos os trabalhos são acessíveis por meio de Interpretação para LIBRAS e Audiodescrição. O acesso é gratuito. Os ingressos para as apresentações deverão ser retirados na bilheteria do teatro uma hora antes.

MICSUR

O MICSUR 2024 reuniu delegações da Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Uruguai, Peru e Paraguai, com o objetivo de estabelecer uma agenda colaborativa para o desenvolvimento de ecossistemas criativos na região da América Latina e Caribe.

Sobre a experiência no evento, René Loui comentou que foi enriquecedora. “Nossa participação no MICSUR 2024 foi uma experiência verdadeiramente marcante e enriquecedora. Estar lá, integrando a delegação brasileira a convite da OEI – Organização dos Estados Ibero-americanos, foi um privilégio que nos encheu de orgulho e entusiasmo. Absorvemos um pouco mais sobre as práticas artísticas e os modelos de gestão cultural de nossos colegas sul-americanos”, completa René.”

Sobre o CIDA

O Coletivo Independente Dependente de Artistas (CIDA ) é um núcleo artístico de dança contemporânea, fundado no ano de 2016 por artistas emergentes, pluriétnicos, com e sem deficiências, oriundos das mais diversas regiões do Brasil e radicados na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte. O CIDA se destaca no cenário cultural por sua produção experimental e inclusiva.

Todas as informações sobre o CIDA podem ser acompanhadas através dos canais de comunicação do coletivo. acompanhe o Coletivo no Instagram em: @coletivocida ou acesse: www.coletivocida.com.br

“BELEZAS SÃO COISAS ACESAS POR DENTRO”

“Catto reacende a chama transgressora de Gal Costa em álbum movido pela energia do rock”. Foi assim que
o renomado crítico musical Mauro Ferreira definiu “Belezas são Coisas Acesas por Dentro”, projeto que
estreou como espetáculo em 2023 e depois ganhou registro em estúdio.

O disco apresenta uma seleção de 10 faixas compostas por Antônio Cícero, Arthur Nogueira, Bactéria, Bob
Dylan, Caetano Veloso, Dorival Caymmi, Gilberto Gil, Jorge Mautner, José Paes de Lira, Junio Barreto, Nelson
Jacobina e Stevie Wonder, e narra uma jornada de amor, dor e glória que dialoga diretamente com o processo
de afirmação de gênero vivenciado por Catto – que se identifica como uma pessoa não binária.

O trabalho ocupou o topo da lista de álbuns mais vendidos no iTunes Brasil nas primeiras 24 horas após o
lançamento, foi eleito destaque musical de 2023 no Prêmio Arcanjo de Cultura, e teve a faixa “Negro Amor”
figurando por nove semanas consecutivas no Top 10 MPB da Crowley, o ranking oficial que mede as músicas
mais executadas nas rádios do país.

No palco, Catto, que co-assina a produção musical, e o power trio formado por Fábio Pinczowski (guitarra e
direção musical), Gabriel Mayall (baixo) e Michelle Abu (bateria) extrapolam a seleção de faixas do álbum
para promover uma celebração do repertório de Gal sem cair em clichês, resgatando canções clássicas e
outras lançadas nos últimos anos de vida da cantora baiana.

Com cerca de 90 minutos, o espetáculo conta com roteiro assinado pela própria Catto em parceria com Ismael
Caneppele e Cris Lisbôa, e reúne sucessos como “Tigresa”, “Vaca Profana”, “Chuva de Prata” e “Nada Mais”,
além de pérolas recentes como “Recanto Escuro” e “Jabitacá”.

O show já passou por unidades do Sesc em São Paulo na capital e no interior, Casa Natura Musical e Blue
Note São Paulo, movendo uma legião de fãs e apaixonados pelas obras de Catto e Gal, que além do talento
inegável partilham a mesma data de aniversário (26 de setembro). Também foi destaque do festival Primavera
Sound São Paulo, aparecendo nas listas de melhores apresentações da edição para veículos como O Globo,
Estadão e Tenho Mais Discos que Amigos.

“A Gal é a matriz fundamental das cantoras brasileiras. Ela deu tudo pra gente: o rock, o samba, a bossa
nova, a rebeldia, a elegância”, conta Catto. “Nos encontramos algumas vezes e ela sempre foi um amor.
Quando me chamaram pra fazer essa homenagem, eu fiquei muito grata por poder encarnar essas canções
tão poderosas e mandar todo meu amor pra Gal”.

Catto (ela/dela) é cantora, compositora, instrumentista, produtora musical, designer e diretora audiovisual. Ao
longo de seus 15 anos de carreira, a gaúcha radicada em São Paulo lançou sete registros em estúdio, entre
álbuns, EPs e discos ao vivo, além de colaborações com outros artistas. É considerada uma das maiores
vozes da música brasileira e já cantou com ícones como Ana Carolina, Maria Bethânia, Marina Lima, Ney
Matogrosso e Zélia Duncan. A artista também teve suas músicas nas trilhas sonoras de novelas como Cordel
Encantado (Saga), Sangue Bom (Quem é Você), Saramandaia (Adoração) e Joia Rara (Flor da Idade).

São João em Assú começa nesta segunda-feira (22)

Começa nesta segunda-feira (22), os ensaios do Auto de São João Batista 2024, na cidade de Assú. Considerado o São João mais antigo do mundo, o espetáculo vai compor a programação oficial e vai contar com mais de 30 atores e atrizes em cena. A 7ª edição conta com direção de Diana Fontes, e será apresentado entre os dias 6 e 9 de junho, no anfiteatro Arcelino Costa Leitão (buraco do prefeito), a partir das 20h.

Chico Bethoven e “Choro do Elefante” se apresentam no Teatro Alberto Maranhão nesta sexta (19)

Nesta sexta-feira (19), o Teatro Alberto Maranhão recebe uma apresentação especial em celebração ao Dia Nacional do Choro. O saxofonista Chico Bethoven e o grupo “Regional Choro do Elefante” unirão seus talentos para contar a história desse gênero musical brasileiro emblemático, através de um repertório que reflete sua evolução ao longo dos anos.

O evento faz parte da programação do projeto “Abril das Artes”, uma iniciativa promovida pelo Governo do RN, em conjunto com a Secretaria Extraordinária de Cultura e a Fundação José Augusto (FJA). A entrada será gratuita, permitindo que todos os interessados tenham acesso à cultura e à música de qualidade.

O Choro, reconhecido como o primeiro gênero musical urbano do Brasil, teve sua importância histórica oficializada neste ano de 2024, quando foi registrado no Livro das Formas da Expressão pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC), sendo reconhecido como Patrimônio Imaterial Cultural do Brasil. A data escolhida para comemorar essa manifestação cultural é o dia 23 de abril.

Prefeitura abre inscrições para novos talentos no espetáculo “Chuva de Bala no País de Mossoró”

A Prefeitura de Mossoró está incentivando a participação de novos artistas no renomado espetáculo “Chuva de Bala no País de Mossoró”. As inscrições para o projeto “Jovens Talentos” foram abertas nesta terça-feira (16), oferecendo uma oportunidade para jovens atores, atrizes, bailarinos e bailarinas que desejam mostrar seus talentos no “Mossoró Cidade Junina”.

As vagas são destinadas a candidatos com 18 anos ou mais, que estejam envolvidos em atividades artísticas como teatro e dança. Os interessados podem se inscrever até o dia 19 de abril na Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Os candidatos devem apresentar cópia do CPF, do RG ou outro documento com foto, comprovante de residência e um portfólio atualizado.

As audições serão realizadas nos dias 24 e 25 de abril. Os candidatos selecionados receberão um incentivo financeiro de R$ 800,00 como forma de contribuição para o espetáculo.

Veja a lista de ganhadores da 21ª edição do Prêmio Hangar de Música

Com o tema “Amazônia Bioma Música”, a 21ª Edição do Prêmio Hangar de Música, realizada na noite da última segunda-feira (15) no Teatro Alberto Maranhão, celebrou a música potiguar e o futuro ancestral na música contemporânea brasileira. Com premiações e apresentações musicais, o Hangar homenageou o multiartista Potyguar/a Juão Nyn.

Realizado em Natal/RN desde 1999, o Prêmio Hangar de Música é uma importante premiação que tem como objetivo reconhecer, valorizar, incentivar, homenagear, divulgar e premiar a rica produção musical brasileira.

“Celebrar a 21ª edição do Prêmio Hangar de Música retornando ao Teatro Alberto Maranhão e trazendo o tema “Amazônia Bioma Música” é um importante manifesto em defesa da valorização da música dos povos originários e das nossa ancestralidade. E fazer isso na semana dos povos originários é muito simbólico”, declara Marcelo Veni, produtor e idealizador da premiação.

Com direção musical de Toni Gregório, iluminação de Rogério Ferraz e direção de vídeo da Nav Noar, o Prêmio Hangar integrou a programação especial de 120 anos do Teatro Alberto Maranhão.

Em sua 21ª edição, o Hangar homenageou a Amazônia contemporânea a partir de sonoridades produzidas por diversas vozes atuantes na maior floresta tropical do mundo que além de diversa em seu bioma é diversa em sua arte. Os vencedores de cada categoria do Prêmio Hangar receberam uma obra criada e confeccionada pelo artista Guaraci Gabriel, que para esta edição imprimiu referências da arte marajoara.

“O Prêmio Hangar é uma das mais importantes premiações musicais realizadas fora do eixo Rio-São Paulo e, especialmente, uma das mais importantes realizadas no Nordeste, pelo seu tempo de realização e número de artistas envolvidos. Essa edição também é símbolo de resistência de um produtor musical que todos os anos realiza com muita luta esse evento para deixar o artista num lugar mais alto. A história da premiação se confunde também com a trajetória de muitos artistas e demais produtores. Hoje também é dia de festejar toda essa luta”, completa Marcelo Veni.

Para Jennify C., premiada na categoria ‘Revelação do Ano’, estar no palco ganhando o prêmio é algo emocionante. “Eu só tenho que agradecer a todo mundo que trabalhou comigo, e principalmente, à minha mãe que acreditou no meu trabalho. Desde os 11 anos me imagino aqui no palco. Receber esse reconhecimento como artista independente, preta e do gênero fluido é muito gratificante pra mim e estou muito emocionada”.

O homenageado da edição, o multiartista Juão Nyn, ativista comunicador do movimento Indígena do RN, integrante do Coletivo Estopô Balaio de Criação, Memória e Narrativa e vocalista/compositor da banda Androyde Sem Par, destacou a importância de resgatar a memória indígena no estado.

“Eu queria agradecer, primeiramente, ao Prêmio Hangar e às minhas famílias. Além disso, gostaria de dizer que eu faço parte de um recorte que cada vez as pessoas precisam se acostumar: que é a retomada indígena. O Rio Grande do Norte é o único estado brasileiro que não tem terra indígena demarcada. E no Nordeste parece que as pessoas não pensam que tem pessoas indígenas, mas nós somos cerca de 54 etnias e temos muita história para contar”, declarou Juão.

“Nem todo potiguara é potiguar, e nem todo potiguar é potiguara, mas eu sou e tenho muito orgulho de toda a minha ancestralidade. Que a gente não esqueça jamais: o Brasil é terra indígena e o Rio Grande do Norte também!”, completou Juão em seu discurso.

Além da entrega dos prêmio, o Hangar contou com apresentações de DJ Nandrill, Rousi Flor de Caete, Toni Gregório, Vic Kabulosa, Analuh Soares, Dudu Galvão, Pe. Caio Cavalcanti, Cabocla Jurema, Jennify C, Nunis, Juão Nyn, Amém Ore.

A 21ª edição do Prêmio Hangar de Música acontece conta com apoio cultural da Prefeitura do Natal, Sebrae-RN, Fecomércio – RN, Sesc-RN e Fundação José Augusto. Realização da MV Projetos Criativos.

Veja a lista de premiados na 21ª edição do Prêmio Hangar de Música:

Prêmio Hangar Especial: 100 Anos de Praieira

Trajetória Musical: Mad Dogs

Projeto Musical Realizado: Segunda de Vagabundo

Prêmio Hangar Nacional: Dona Onete – PA

Prêmio Hangar Nordeste: Rapadura – CE

Música e Gastronomia: Festival Gastronômico e Cultural de Martins – RN

Revelação musical: Jennify C.

Dedicou a todas as pessoas pretas, tranns e periféricas

Produtor Musical do Ano: Walter Nazário

Instrumentista do Ano: Alexandre Moreira

Prêmio Hangar Artista Popular: Banda Grafith

Categoria Forró: Deusa do Forró

Linguagens Urbanas: Breno Slick

Feat do Ano: Orquestra Greiosa + Felipe Cordeiro

Prêmio Hangar Música Gospel: Arthur Bezerra

Banda ou Grupo do Ano: DuSouto

Categoria Samba: Rosas na Cartola

Intérprete do Ano: Dudu Galvão

Prêmio Hangar de Música Originária Brasileira: Òwerá

Show do ano: Lysia Condé – Minas de Fé e Paixão (TAM)

Lançamento Do Ano (EP / Álbum): Sobre O Mar O Tempo Repousa – Nunis

Videoclipe de Linguagens Urbanas: Big-Bang – Ale Du Black Feat. CazaSuja. Diretor: Thales Victor

Videoclipe do Ano: A Quem Precisa -ZAEL. Diretor: Alex Martins

A 21ª edição do Prêmio Hangar de Música acontece nesta segunda-feira (15)

Com o tema “Amazônia Bioma Música”, a 21ª Edição do Prêmio Hangar de Música acontece nesta segunda-feira (15) no Teatro Alberto Maranhão com entrega das premiações e apresentações musicais a partir das 20h. A premiação vai homenagear o multiartista Potyguar/a Juão Nyn e terá na programação outros convidados.

Realizado em Natal/RN desde 1999, o Prêmio Hangar de Música é uma importante premiação que tem como objetivo reconhecer, valorizar, incentivar, homenagear, divulgar e premiar a rica produção musical brasileira.

“Celebrar 21 anos do Prêmio Hangar de Música é fortalecer e destacar o potencial criativo da nossa música. Neste ano trazemos como tema “Amazônia Bioma Música”, em um manifesto em defesa da maior floresta tropical do mundo e também de valorização da música dos povos originários”, declara Marcelo Veni, produtor e idealizador da premiação.

Com direção musical de Toni Gregório, iluminação de Rogério Ferraz e direção de vídeo da Nav Noar, o Prêmio Hangar integra a programação especial de 120 anos do Teatro Alberto Maranhão e vai fazer homenagear a Amazônia contemporânea a partir de sonoridades produzidas por diversas vozes atuantes na maior floresta tropical do mundo que além de diversa em seu bioma é diversa em sua arte. Os vencedores de cada categoria do Prêmio Hangar vão receber a obra criada e confeccionada pelo artista Guaraci Gabriel que para esta edição imprimiu referências da arte marajoara.

“Com este conceito queremos lembrar artistas indígenas que com ritmos como o rap, o pop e eletrônico, vem ganhando espaço no mundo – trazendo um futuro ancestral para a música contemporânea brasileira. Nos últimos anos esses artistas, em sua maioria, jovens que reafirmam sua identidade através de sua arte, começaram a chamar a atenção pela qualidade de suas músicas, estamos bem felizes de poder premiar e ter no palco o rapper Òwerá, artista Guarani-Mbyá, que vem ampliando essa representatividade no cenário musical brasileiro”, completa Marcelo Veni.

Com apenas 23 anos, Owerá coleciona parcerias com artistas como Brô MC´s, Criolo, Tropkillaz, Célia Xakriabá, Djuena Tikuna, Alok e Edgar. Vale lembrar que se apresentou ao lado de Caetano Veloso no especial 2022, da HBOMax e também no Prêmio Sim à Igualdade Racial com transmissão pela Rede Globo. Owerá reivindica o respeito aos povos originários e a demarcação das terras, além de levar mensagens de apoio ao seu povo. O artista Guarani-Mbyá vai receber premiação especial na categoria “Música Originária Brasileira”.

Na programação estão artistas como: DJ Nandrill, Rousi Flor de Caete, Toni Gregório, Vic Kabulosa, Analuh Soares, Dudu Galvão, Pe. Caio Cavalcanti, Cabocla Jurema, Jennify C, Nunis, Juão Nyn, Amém Ore e Òwerá.

O homenageado da edição, o multiartista Juão Nyn é ativista comunicador do movimento Indígena do RN, integrante do Coletivo Estopô Balaio de Criação, Memória e Narrativa e vocalista/compositor da banda Androyde Sem Par. Há 10 anos em trânsito entre RN e SP, é Mestre do Terreiro Teatro Contracolonial na ELT – Escola Livre de Santo André, escreveu a dramaturgia Tybyra em 2020 e está terminando o 1° álbum solo, todo cantado em Tupi, chamado “Nhe’etimbó – Voz, Fumaça de Corpo” que tem previsão de ser lançado em Junho de 2024.

Músicos Indicados e premiados em edições anteriores são convidados. Confirmar presença via whatsapp (84) 9.8604 2645

A 21ª edição do Prêmio Hangar de Música acontece conta com apoio cultural da Prefeitura do Natal, Sebrae-RN, Fecomércio – RN, Sesc-RN e Fundação José Augusto. Realização da MV Projetos Criativos.

Veja as categorias de premiados nas categorias especiais da 21ª edição do Prêmio Hangar de Música:

Homenageado do Ano

Juão Nyn

Música Originária Brasileira

Òwerá

Prêmio Hangar Nordeste

Rapadura – CE

Prêmio Hangar Nacional

Dona Onete – PA

Prêmio Hangar Artista Popular

Banda Grafith

Instrumentista do Ano

Alexandre Moreira

Produtor Musical do Ano

Walter Nazário

Prêmio Hangar Música Gospel

Arthur Bezerra

Trajetória Musical

Mad Dogs

Prêmio Hangar Especial

100 Anos de Praieira

Projeto Musical Realizado

Segunda de Vagabundo

Música e Gastronomia

Festival Gastronômico e Cultural de Martins – RN

Veja os indicados ao 21º Prêmio Hangar de Música

 

Intérprete do Ano

Alan Persa

Cida Lobo

Diogo das Virgens

Dudu Galvão

Edja Alves

Marina Elali

Nunis

Pedro Lucas

Banda / Grupo do Ano

Batuque de Mulheres

Coco de Rosa

DuSouto

Luísa e os Alquimistas

Skarimbó

Soul Rebel

Show do Ano

Breno Slick – Original Favela (Cervejaria Continental)

Daniela Fernandes – Ressalto (TAM)

Ian Medeiros – Festival DoSol

Jubileu Filho – Homenagem Jubileu 40 anos (TAM)

Lysia Condé – Minas de Fé e Paixão (TAM)

Os Chicos 10 anos – Graça (TAM)

Sérgio Farias – 30 anos de Carreira (EMUFRN)

Linguagens Urbanas

Alê Du Black

Amém Ore

Batalha da Clandestina

Breno Slick

Cazasuja

Danilo Kauan (DK)

Pajux

Categoria Forró

Cavaleiros do Forró

Deusa do Forró

Forró Meirão

Forró NaManha

Giannini Alencar

Padre Caio Cavalcanti

Rai Saia Rodada Reynaldo Júnior do Acordeon

Categoria Samba

Analuh Soares Dani Cruz Fernandinho Preto no Branco Ribeira Boêmia Rosas na Cartola Sambacom Valéria Oliveira

Revelação Musical

Gracinha
Jennify C.
MC RB
Pytyguary & The Anatolyan Side
Ravia
Sarah Oliver
Thales TKZIN
Zael

Lançamento Do Ano (EP / Álbum)

Cantos de Transição – Rousi Flor de Caeté
Clara Luz – Clara Luz
Guetto é Luxo – Ale Du Black
Lado A, Lado D – Simona Talma
Manha – Sarah Oliver
Minha Casa – Dudu Galvão
Novo Nordeste Psicodélico Volume II – Sample Hate
Sobre O Mar O Tempo Repousa – Nunis

Feat do Ano

Ale Du Black + CazaSuja
Dumara + Cenna
Khrystal + Juliana Linhares
Orquestra Greiosa + Felipe Cordeiro
SouRebel + Cami Santiz
Tanda Macedo + Waldonys

Videoclipe do Ano

A Quem Precisa -ZAEL

Alex Martins

Forte Como o Fogo – Mariano Tavares

Rita Machado e Mariano Tavares

Invisible To You – Invisible Control

Thiago Linhares

Isa – Alan Persa John Muller

Mulher – Simona Talma

Larinha Dantas

Under the Dusk – Psychotic Apes

Thales Victor

Calma -Amém Ore Feat. Eron

Bastos

Videoclipe de Linguagens Urbanas

Big-Bang – Ale Du Black Feat. CazaSuja
Thales Victor

Clima Tropical – ZSIG Feat JV’
TKO Filmes

Manual de Instruções – Thales TKZIN
Thales Victor

Máquina – Breno Slick
Haran G. Nobre e Adeilson Ureia

PL – Escorpiana
Luis HZVDO

Auto de São João Batista define artistas para compor elenco na cidade de Assú

A equipe de direção do Auto de São João Batista 2024 realizou neste final de semana, a seleção do elenco que vai compor o espetáculo teatral, durante os festejos do São João de Assú, o São João mais antigo do mundo. Com 106 atores e atrizes inscritos, a seleção acontece entre os dias 13 e 14 de abril, na Escola Estadual Juscelino Kubitschek – Rua Cel. Francisco Martins, nº 80 – bairro Dom Elizeu. A realização do espetáculo teatral é um resgate à cultura local retomado em 2023 após 10 anos sem ser realizadas apresentações.

Participaram da seleção, artistas de várias idades com ou sem experiência profissional. A equipe organizadora do espetáculo apresentou a proposta de trabalho, como vai funcionar as atividades cênicas e a importância do evento para a região. “Vamos fazer um espetáculo teatral com elenco composto apenas por artistas da cidade de Assú. Nós sabemos, a importância desse tipo de iniciativa para valorizar os artistas locais e dar oportunidade de reconhecimento, pra quem faz cultura na cidade”, afirmou Diana Fontes, diretora do espetáculo.

Os ensaios iniciam no próximo dia 22 de abril. Em sua 7ª edição, o evento vai ser realizado entre os dias 6 e 9 de junho, no anfiteatro Arcelino Costa Leitão (buraco do prefeito). As apresentações são gratuitas e serão iniciadas a partir das 20h.

Confira a lista dos atores selecionados para compor o Auto de São João Batista 2024:

1. Antônio Jalison Alves da Silva
2. Artênio Rodrigues da Silva
3. Andreza Terezinha da Fonseca Alves Ribeiro
4. Ana Carolina Gomes de Sena
5. Aline de Araújo Dantas
6. Aurimarya Dantas de Souza
7. Davi Duan Machado Ribeiro de Melo
8. Daiane Ferreira Fernandes de Brito
9. Daiane Batista da Silva
10. Daniel de Souza
11. Delzir Romão
12. Edna Lúcia Medeiros da Fonseca
13. Edilson Medeiros Júnior
14. Eduarda Anielly Alves da Costa
15. Frank Hontoniel de Morais Silveira
16. Fadja Lumena Bezerra da Silva
17. Joelison Martins de Lima Oliveira
18. João Vitor Ferreira Maia
19. Juliana Valéria Alves da Silva
20. José Edilson Silvestre
21. Ludimar Vitor de Amorim
22. Luiz Eduardo Rocha
23. Maria Igerlania de Araújo
24. Maria Núbia da Silva
25. Nimarlly Davinna da Rocha Costa
26. Paulo Henrique Nogueira da Fonseca
27. Renato Mark Wanderley
28. Sidcley Costa de Almeida
29. Talita Rafaela da Cunha
30. Thiago Bernardo de França
31. Vancleber de Souza Nogueira
32. Wesley David Fonseca da Silva
33. Wendlly Cristiny do Nascimento Santos
34. Walber Ferreira dos Santos