Bilionária brasileira doa R$ 8,8 milhões para programa de pesquisas britânico pela cura do mal de Parkinson

GLAMURAMA

Lily Safra || Créditos: Reprodução

Um dos programas de pesquisa pela cura do mal de Parkinson mais avançados do mundo acaba de receber uma ajuda extra dada por uma brasileira: Lily Safra, viúva do banqueiro Edmond Safra, enviou recentemente um cheque de £ 1,63 milhão (R$ 8,8 milhões) para o Departamento de Ciências Cerebrais do Imperial College London, considerada uma das melhores universidades do mundo quando o assunto é biomedicina. O dinheiro será usado para a compra de equipamentos e também para patrocinar estudantes da instituição de ensino cujas ideias possam contribuir para a causa.

Safra, de 84 anos, nasceu no Rio Grande do Sul, mas há décadas mora no exterior e atualmente se divide entre Londres, onde tem casa, e Mônaco, de onde se tornou cidadã anos atrás. Dona de uma fortuna estimada em US$ 1,3 bilhão (R$ 5,4 bilhões), ela conhece muito bem os problemas causados pelo Parkinson, que acometeu seu falecido marido. “Me orgulho de poder ajudar esses jovens cientistas na busca por entender melhor o cérebro humano”, a bilionária disse em nota. “Eu vivi de perto o sofrimento causado por essa doença não somente nos pacientes, mas também em seus familiares”. (Por Anderson Antunes)